sábado, 12 de dezembro de 2009

AMOR AOS PEDAÇOS XXVI – FIM

PS- Desculpe-me novamente. Sei que eu já escrevi FIM mas de um vício como esse – vício de ps (s) – não se fica livre assim, assim, mesmo depois do esforço desse rascunho. Bom, mas o fato é que me esquecia de algo importante nessa história toda. Trata-se da canção ‘Tempo-Rei’ do Gilberto Gil, mas na voz do Lobão. De fato, a poesia do Gil e a voz do Lobão – (ele nunca cantou tão bem!) nos orientou e protegeu durante as piores tempestades. Devemos muito de nossa sobrevivência a ambos. É isso. Agora é FIM de verdade. Bem, quero dizer só uma coisinha a mais. Para a verdade de verdade, e resumindo tudo que eu queria dizer-te sobre o ser que eu descobri em mim, vou citar: “agora ainda me pertenço, sou teu”, o disse Goethe, aquele outro um, imagine, eu, no dito de um homem. Enfim, você acha que as coisas mudam? Ou não mudam? Passar bem, L.

(Edward Burns Jones - The depts of the sea)

Nenhum comentário:

Postar um comentário