domingo, 13 de dezembro de 2009

Dia de Henrique


Vou compartilhar com o Clube um de meus poemas preferidos. Trata-se do Canto XIX da 1ª Parte do “Livro das Ignorãças” do Manoel de Barros.


XIX

O rio que fazia a volta atrás de nossa casa era a

imagem de um vidro mole que fazia uma volta atrás

de casa.

Passou um homem depois e disse: Essa volta que o

rio faz por trás de sua casa se chama enseada.

Não era mais a imagem de uma cobra de vidro que

fazia uma volta atrás de casa.

Era uma enseada.

Acho que o nome empobreceu a imagem.




Caros amigos do Clube Quase-Ser-Tão,

Assim como todos vocês, sou um fã das palavras. Mesmo assim, acredito que muitas vezes algumas imagens são melhores sem palavras (ou com as palavras certas, como no poema do Manoel de Barros). Remeto a vocês três fotos que fiz na minha última viagem de férias, em Salvador. Uma que é a casa de um grande escritor baiano. Outra, do forte que por ele era chamado “umbigo da Bahia” e a terceira que representa um destes momentos que a palavra não pode captar (e que a máquina fotográfica teima em pensar que pode).

Feliz natal a todos. Um ano de 2010 com muita paz, prosperidade e ARTE.


Ei, Henrique, nosso advogado preferido: Obrigado pelo voto “supimpa” (adorei!); pelas consultorias sempre sensatas e companhia de bom ânimo e bom humor! Obrigado com tudo bem embalado com o nosso amor. E votos de um 2010 superior (não consegui palavra tão certa quanto supimpa...) com umas minhas palavras do Vinicius de Moraes pra você:


“Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...”

A gente te espera em 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário