quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Dia (noite) de Shakespeare e Van Gogh

(Noite - Vincent Van Gogh)

Not from the stars do I my judgment pluck;

And yet methinks I have astronomy,

But not to tell of good or evil luck,

Of plagues, of dearth’s, or season’s quality;

Nor can I fortune to brief minutes tell,

Pointing to each his thunder, rain, and wind,

Or say with princes if is shall go well,

By oft predict that I in heaven find:

But from thine eyes my knowledge I derive,

And, constant stars, in them I read such art

As ‘Truth and beauty shall together thrive,

If from thyself to store thou wouldst convert’;

Or else of thee this I prognosticate:

‘Thy end is truth’s and beauty’s doom and date.


Dos astros não retiro entendimento

Embora eu tenha cá de astronomia,

Mas não para prever a sorte, o intento

Das estações, ou fome, epidemia;

Nem sei dizer o que será do instante,

Prever a alguém quer chuva, ou vento, ou raio;

Se tudo há-de sorrir ao governante

Segundo as predições que aos céus extraio.

De teus olhos provêm meus atributos

E, astros constantes, leio ali tal arte:

‘Que a verdade e a beleza darão frutos

Se em ti deixas de tanto reservar-te’.

Ou um vaticínio sobre ti revelo:

Teu fim põe termo ao verdadeiro e ao belo.



CODA: in 24 sonetos, W. Shakespeare, Nova Fronteira, edição bilíngüe, tradução de Ivo Barroso, prefácio de Antônio Houaiss, RJ, 1975. Publicados pela primeira vez em Londres em 1609, os sonetos de Shakespeare inserem-se no número das grandes obras-primas da poesia universal. Apresentam também uma das suas facetas, ao mesmo tempo, mais ricas e mais misteriosas: mais ricas pela técnica e pelo conteúdo lírico, e ainda pela sua inserção na época elisabetana à qual pertencem e pela carga de efeitos conseguidos no discurso poético e misteriosa pelas dúvidas que ainda hoje levantam em torno das suas chaves. Cartas ou confissões, reflexões ou moralidades, desabafo ou crítica social implícita ou explícita, sempre um secreto código acompanha ou envolve os sonetos de Shakespeare.


(William Shakespeare)

Nenhum comentário:

Postar um comentário