segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Reflexões. Encontros notáveis.

"Creio que a essência do fanatismo reside no desejo de forçar as outras pessoas a mudarem. A inclinação comum de melhorar seu vizinho, de consertar seu cônjuge, de guiar seu filho ou de endireitar seu irmão, em vez de deixá-los ser. O fanático é uma criatura bastante generosa. É um grande altruísta. Freqüentemente, o fanático está mais interessado em você do que nele próprio. Ele quer salvar sua alma, quer redimi-lo, quer libertá-lo do pecado, do erro, do fumo, de sua fé ou de sua falta de fé, quer melhorar seus hábitos alimentares ou curá-lo de seus hábitos de bebida ou de voto. O fanático importa-se muito com você, ele está sempre se atirando no seu pescoço porque o ama de verdade, ou apertando sua garganta, caso você prove ser irrecuperável”.

CODA: in CONTRA O FANATISMO, Amós Oz, Ediouro, RJ, 2004.

Amóz Oz nasceu em Jerusalém em 1939. Tem uma bela obra literária, já traduzida para mais de 30 idiomas. Lutou na guerra de 1967 e é militante pacifista, atuante no Paz Agora, um dos mais ativos movimentos israelenses pela paz. Seus romances são delicados, sua escrita é um mergulho profundo em nossa frágil humanidade. É um escritor generoso. Destacamos: O MESMO MAR, MEU MICHEL e CONHECER UMA MULHER, entre outros. Conheça também Amós, o homem.

(Amós Oz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário