quinta-feira, 25 de março de 2010

Mulheres 25: Jacinta de Siqueira

JACINTA

Eduardo Galeano


Ela consagra a terra que pisa. Jacinta de Siqueira, africana do Brasil, é a fundadora dessa Vila do Príncipe e das minas de ouro dos barrancos de Quatro Vinténs. Mulher negra, mulher verde, Jacinta se abre e se fecha como planta carnívora engolindo homens e parindo filhos de todas as cores, nesse mundo que ainda não tem mapa. Jacinta avança, rompendo a selva, à cabeça dos facínoras que vêm em lombo de mula, descalços, armados de velhos fuzis, e que, ao entrar na mina, deixam a consciência pendurada em um galho ou enterrada no Pântano: Jacinta, nascida em Angola, escrava na Bahia, mãe do ouro de Minas Gerais.



in Mulheres, Eduardo Galeano, L&PM, Porto Alegre, 1997.




JACINTA DE SIQUEIRA, A DESCOBRIDORA DAS MINAS DO IVITURUÍ:


Esta é, certamente, "uma das mais notáveis personagens femininas da Vila do Principe, na primeira metade do século XVIII", segundo Jorge da Cunha Pereira Filho. Jacinta chegou às terras do Serro Frio, vindo da Bahia, já alforriada. Era natural da Costa da Mina, na África, foi escravizada e trazida para o Brasil, certamente com algum conhecimento do garimpo, atividade comum em seu país de origem. Segundo a tradição e documentos históricos, por volta de 1700, antes mesmo da chegada dos descobridores oficiais, foi a primeira a encontrar ouro no Córrego dos Quatro Vinténs, que tomou este nome exatamente por causa da quantidade extraída na primeira bateada vitoriosa da feliz Jacinta. Este fato mudou completamente a vida da negra forra, transformando-a numa das maiores mineradoras, proprietária de terras e de escravos, no nascente Arraial do Ivituruí. Foi uma das principais construtoras da Igreja da Purificação, considerada a primeira em madeira e taipa do Serro. Constituiu com orgulho uma grande família, deixando extensa lista de descendentes na Vila do Príncipe. Gilberto Freyre, em "Casa Grande e Senzala", baseando-se em anotações do Alferes Luís Pinto, destaca: "...É assim que Jacintha de Siqueira, "a célebre mulher africana que em fins do século XVII ou princípios do XVIII veio com diversos bandeirantes da Bahia" e a quem "se deve o descobrimento do ouro no córrego dos Quatro Vinténs e ereção do Arraial à Villa Nova do Príncipe em 1714", aparece identificada como o tronco, por assim dizer matriarcal, de todo um grupo de ilustres famílias do nosso país. "Os pais de todos os filhos de Jacintha Siqueira - acrescenta o genealogista - foram homens importantes e ricos e muitos figuram entre os homens da governança ...".

(ver site Guia do Serro, das Minas Gerais)


Nenhum comentário:

Postar um comentário