sexta-feira, 9 de abril de 2010

Grande Ser Tão...

(Joca Ramiro - óleo sobre madeira - Renan Xavier)


“ (...) Mas, hoje, sei: Não devia-de. Isto é: depende da sentença que vou ter , neste nobre julgamento. Julgamento, digo, que com arma ainda na mão pedi; e que deste grande Joca Ramiro mereci, de sua alta fidalguia... Julgamento - isto, é o que a gente tem de sempre pedir! Para que? Para não se ter medo! É o que comigo é. Careci deste julgamento, só por verem que não tenho medo... Se a condena for às ásperas, com a minha coragem me amparo. Agora, se eu receber sentença salva, com minha coragem vos agradeço. Perdão, pedir, não peço: que eu acho que quem pede, para escapar com vida, merece é meia-vida e dobro de morte. Mas agradeço, fortemente. Também não posso me oferecer de servir debaixo d’armas de Joca Ramiro – porque tanto era honra, mas não condizia bem. Mas minha palavra dando, minha palavra as mil vezes cumpro! (...)”


in Grande Sertão:Veredas, Guimarães Rosa, Nova Fronteira, RJ, 1998.

Nenhum comentário:

Postar um comentário