sexta-feira, 2 de abril de 2010

Santos dias de abril



No dia 23 de abril, dia de São Jorge, os habitantes da Catalunha, na Espanha, revivem uma tradição: quem compra um livro ganha uma rosa. Em 1926, a Espanha começou a comemorar o Dia do Livro neste dia. No dia 23 de abril de 1616, dois dos maiores autores de todos os tempos morreram: o inglês William Shakespeare e o espanhol Miguel de Cervantes. Em 1995, a UNESCO (Organização das Nações Unidas Para a Educação, a Ciência e a Cultura) estabeleceu a data como dia Mundial do Livro e do Direito do Autor. Desde então, o dia é celebrado em vários países, especialmente europeus, com inúmeros eventos, quase todos de iniciativa privada, gerando (e visando) grande movimentação financeira. De qualquer modo, o movimento criado pelos festejos está crescendo, e o livro é a celebridade. Falou-se em mais de 4000 eventos comemorativos da data em 2009, só em livrarias alemãs.

O Dia Nacional do livro é 29 de outubro, escolhido em homenagem à fundação da Biblioteca Nacional, que ocorreu em 1810. O movimento editorial começou no Brasil em 1808, quando D. João VI fundou a Imprensa Régia. O primeiro livro publicado aqui foi "Marília de Dirceu", de Tomás Antônio Gonzaga. Havia a censura da imprensa pelo Imperador. Na década de 1930 houve grande crescimento editorial, após a fundação da Companhia Editora Nacional por Monteiro Lobato, em outubro de 1925.


O dia 2 de abril é festejado em mais de sessenta países como Dia Internacional do Livro Infantil, em razão do nascimento, neste dia de 1805, do escritor Hans Christian Andersen, na Dinamarca. O Dia Nacional do Livro Infantil é 18 de abril, escolhido pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 2002, em homenagem a Monteiro Lobato nascido neste dia de 1882 e ‘grande pai’ da literatura infantil no Brasil.


23 de abril é também o dia o Dia Nacional do Choro, em homenagem ao nascimento de Pixinguinha, uma das figuras exponenciais da música popular brasileira, e em especial do choro. Este especialíssimo gênero musical, genuinamente brasileiro em sua mestiçagem e sofisticada improvisação, está conquistando o mundo, e em 2009 a data foi comemorada em grande estilo, na França e no Japão. Segundo José Ramos Tinhorão, o termo choro resultaria dos sons plangentes, graves, das modulações que os violonistas exercitavam a partir das passagens de polcas que lhes transmitiam os cavaquinistas, e induziam a uma sensação de melancolia. Existem outras hipóteses, examinadas em livros e documentários que se dedicam ao tema, e crescem a cada dia. Existem Clubes do Choro em Amsterdã, Paris e Tóquio. Em 2009 o grupo Corta Jaca, de jovens instrumentistas de BH, produziu NA LEVADA DO CHORO – UM ALMANAQUE MUSICAL, fruto de uma turnê-pesquisa que revelou personagens e composições que fazem parte da história do choro em Minas Gerais (o clube Quase-Ser-Tão tem este DVD em seu acervo).


Em 1982, a UNESCO estabeleceu o dia 29 de abril como Dia Internacional da Dança, dia que, em 1727, nasceu Jean-Georges Noverre, o criador do balé moderno.


(Roda de choro, de Portinari)


Abril parece não ter fim... dá o que falar! No Brasil, nem se fala... de passagem, dia 22, dia oficial do nosso descobrimento pelos portugueses, comemora-se também o Dia do Planeta Terra, desde 1970.

Por tudo isso, e por muitas outras histórias, dia 24 próximo, sábado, a partir das 16 horas, vamos inaugurar o programa LITERATURA NO QUINTAL, do clube Quase-Ser-Tão, festejando o livro, a palavra, a letra, a rosa, São Jorge, a música, a dança... Tudo no mais puro espírito que nos rege: ‘tudo junto ao mesmo tempo para todos’. Aguardem maiores detalhes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário