sexta-feira, 2 de abril de 2010

SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO

(A Crucificação - Diego Velazquez)

“Tarde Vos amei, ó Beleza tão antiga e tão nova, tarde Vos amei! Eis que habitáveis dentro de mim, e eu lá fora a procurar-Vos! Disforme, lançava-me sobre estas formosuras que criastes. Estáveis comigo, e eu não estava convosco. Retinha-me longe de Vós aquilo que não existiria se não existisse em Vós. Porém, chamaste-me com uma voz tão forte que rompestes a minha surdez! Brilhastes, cintilastes e logo afugentastes a minha cegueira! Exalastes perfume: respirei-o, suspirando por Vós. Tocaste-me e ardi no desejo de vossa Paz”. (Confissões, Santo Agostinho, 27-38)

Nenhum comentário:

Postar um comentário