quinta-feira, 6 de maio de 2010

Outra declaração de amor a José Luis Peixoto


“Estou sozinho e nunca aprendi a estar sozinho. Estou sozinho. Sinto falta de palavras. Estou sozinho. Estou sozinho. Sinto falta de uns olhos onde possa imaginar. Estou sozinho. Sinto falta de mim em mim”.

José Luis Peixoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NO FUNDO NÃO HAVIA ÁGUA ou ENTRE O SUJEITO E A COISA

( nota prévia: esse é o primeiro conto do livro INCONTÁVEIS,  de que publicamos o prefácio antes. Como dissemos é um livro denúncia. Denú...