quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Temos encontrado...



“Seria uma excentricidade chegar à conclusão de que a importância de Freud para a história das mulheres no século XX reside no fato de ter sido ele o primeiro empregador a oferecer oportunidades iguais. Como este livro, mostrou, há mais coisas em jogo na proeminência das mulheres analistas – e das pacientes – na história da psicanálise do que um liberalismo equitativo meio fora de época que dá acesso à nova profissão. O desenvolvimento da teoria psicanalítica foi inseparável do papel distinto e importante que as mulheres pacientes, e depois analistas, desempenharam na sua criação. O pensamento contemporâneo sobre o que é a mulher é tão permeado pelo discurso inventado por Freud e suas mulheres que é impossível conceber uma linguagem futura da sexualidade que não remeta ao nome de Freud. O caso de amor do século XX com Freud pode ter seguido os padrões de idealização e depreciação que ele próprio descreveu tão bem, mas continua a ser, apesar de tudo, um caso de amor.”


In As mulheres de Freud, Lisa Appignanesi e John Forrester, Record, RJ, 2010.
Belo trabalho! Objetivo, esclarecedor, bem humorado, bem escrito, coerente. Em tempos de excessos supérfluos e indigestos, é uma ótima refeição. Reflexão contemporânea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário