quinta-feira, 9 de setembro de 2010

DIZER A VERDADE E TODA A VERDADE:


“A coisa mais difícil, quando se começa escrever, é ser sincero. É preciso sacudir esta idéia e definir o que é a sinceridade artística. Eu penso isto, provisoriamente: que a palavra jamais precede a idéia. Ou melhor: que a palavra seja sempre uma necessidade para ela; é preciso que ela seja irresistível, insuprimível, e o mesmo é válido para a frase, para a obra toda. E para a vida inteira do artista, é preciso que sua vocação seja irresistível, que ele não possa não escrever”. (Gide)

(citado em O escritor e seus fantasmas, Ernesto Sábato, Francisco Alves, RJ, 1982)

Nenhum comentário:

Postar um comentário