segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Lembrete:


5. Porque sou só:


"Todo mundo tem sua riqueza,

só eu pareço desprovido.

Meu espírito é o de um ignorante

porque é muito lento.

Todo mundo é clarividente

só eu estou na obscuridade.

Todo mundo tem o espírito perspicaz

só o meu é confuso

e flutua como o mar, e sopra como o vento.

Todo mundo tem seu objetivo

só eu tenho o espírito obtuso como um camponês.

só eu sou diferente dos outros homens,

porque insisto em sugar o seio de minha Mãe".


(Tao Te King, XX. 85, citado por Roland Barthes em Fragmentos de um discurso amoroso, Francisco Alves Editora, RJ, 1991)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A PRIMEIRA VEZ

(TERCEIRO CONTO DO LIVRO 'INCONTÁVEIS') A PRIMEIRA VEZ Ele bate a coronha da arma na minha cabeça e fico momentan...