quarta-feira, 6 de outubro de 2010

MEU MUNDO SEGUNDO VOCÊ

25.
- Encontrei a epígrafe que você buscava...
- É só isso?
- Estou engasgado. Por favor.
- Tudo bem. Vamos para Paris.
- Não. Vamos para Diamantina.
- Para sempre?
- Veja.
É um leve papel de seda. Escrito na pequena e clara letra de Wolf. Tem perfume. Macela. Wolf é um perfeccionista. E eu estou apaixonada novamente. É um milagre. Leio: “Tal qual ele era eu, esses ombros caídos, essa desgraciosidade. Minha infância aconchega-se ao meu lado. Muito longe para eu pousar nela a mão uma vez ou de leve. A minha é distante e a dele é secreta, como nossos olhos. Segredos silentes, pétreos, moram nos palácios sombrios dos corações de ambos nós dois: segredos exaustos de sua tirania; tiranos desejosos de serem destronados. Ulisses. James Joyce.”
- Eu quero o meu pai!!!
- Eu sabia! Mas você já o tem agora, era sua procura. Encontrei pra você.
- Eu quero o meu pai...
- Você o tem.
- Humm.
- Desculpe, mas detesto o seu romance.
- Eu também.
- Gosto quando você geme esse sorriso.
- É quando fico sem graça.
- Deixa de covardia, vá lá.
- Não consigo.
- Me faça um favor...
- Diga.
- Conte a história de Ulisses.
- Sob o céu de Diamantina.
- OK.

Nenhum comentário:

Postar um comentário