sábado, 31 de dezembro de 2011

Continuando a jornada...


Sonho adentro! Então, estivemos dormindo por um tempo – ninguém é de ferro – mas já acordamos. Em muitos sentidos, naturalmente. Somos nós, o quasesertão, e acordamos que nesse ano, - bem entendido o próximo-, vamos sonhar. Como todos também já sabem, já estávamos sonhando há vários anos. Continuando, portanto, e somando...
 
É uma pena que o filme ‘Os homens que encaravam cabras’ (The Men Who Stare at Goats) tenha passado quase silencioso. Esse filme nos fala de sonhar, e fala muito bem. Devíamos leva-lo  mais a sério. Reuniram um elenco de deuses (exagero à parte, isso é para indicar a escolha que a narrativa faz... o ponto certo da ironia, do humor crítico, da ridicularização severa), que se comporta como tal. O quarteto ‘Clonney, MacGregor, Bridges e Space’ está impagável. A direção, produção, fotografia, roteiro e trilha estão ótimos. E o melhor... A sátira? Talvez, mas pode ser a reflexão se você preferir. Pode ser também a comédia. Ou o reencontro de boas memórias: dei ótimas risadas, e reafirmei princípios filosóficos profundos. Morrendo de rir. Encontrando sonhos. E/ou causas. É isso. Tem sim vida inteligente por aí. Que acredita em sonhos...

O filme é adaptação de um livro de Jon Ronson; estreiou em 2009, no festival de Veneza.Divirta-se, sem parar de pensar, e rir.



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

convite legal:

ps: parabéns, Katarine! Vamos lá gente... dançar e sonhar!

De ZÉLIA para o Clube Quase-Ser-Tão:


 p.s: obrigada, Zélia! um natal novinho pra vocês também!

Sonhando com Kurosawa




Impossível falar ou pensar em SONHOS sem lembrar o filme de Akira Kurosawa. Este é um filme que está além dos outros filmes por várias razões. Akira era genial, e seus filmes foram lições para uma geração inteira de cineastas. Mas isso é pouco para citar Sonhos. O diretor japonês foi um artista do tipo ‘artista e ponto’, pois cultivava toda espécie de arte, e isso tem seu apogeu em SONHOS. O filme é uma aula de estética, de história, de reflexão filosófica, de cultura japonesa, e etc.. Sim, etc. porque é o tipo de arte que não se esgota; podemos assistir a SONHOS quantas vezes quisermos, e correremos o risco de encontrar algo novo a cada vez. Existem várias peculiaridades nesta obra de arte, incluindo curiosidades, como a participação de Martin Scorsese no papel de Van Gogh. Mas enfim, o que mais importa agora é lembrar que em SONHOS, Kurosawa nos dá uma belíssima aula
de SONHOS.

O filme e o diretor receberam todos os prêmios e as homenagens a que fizeram jus. A nós, nesse momento, importa ressaltar desde o viés autobiográfico que permeia a obra à composição dela, que pode ensinar muito sobre a matéria dos sonhos. E ressaltar seu valor, de catarse, de sublimação ou de profecia. Não importa, são grandes e sublimes os valores de SONHOS.

FELIZ NATAL 4:

PS: AMORES LÚCIDOS PRA TODOS VOCÊS.

domingo, 18 de dezembro de 2011

FILME NOVO!!

 Filme novo, lindo, chique e... Sei lá, quero dizer de novo que é um filme novo! Acontece que a direção está no ponto, os atores estão no ponto, a fotografia idem, a trilha sonora também. Entretanto é muito mais que isso. O roteiro de Mike Mills é simplesmente novo... Pois é, não encontro ainda a palavra porque acho que esse filme tem alguma coisa de inaugural. Está bem que vários artifícios usados estão nos filmes recentes; por exemplo, uma edição especial que brinca com a temporalidade, uma representação que avança algo – apenas algo – do minimalismo, um diálogo forte e curto. Uma temática mais intimista.

 
Mas encontrei mais nesse filme. Do ótimo ator que é cão, ao caderninho da atriz, aos excelentes desenhos do protagonista... tudo cheira ao presente, ao dia de hoje, ao fresco. De novo. Mike Mills é um artista multifacetado (os desenhos são dele) e creio que ele vem aí com força máxima. Ewan McGregor! E não se fala mais nisso (definitivamente, ele é um veterano, testado e aprovado). Melanie Laurent é tão linda e tão segura, que a gente se esquece da sua juventude. Ela também é roteirista, diretora e compositora. E Christopher Plummer já conhecemos bem. Enfim, bom (ou melhor, ótimo) programa pra vocês com Begginners, aqui, Toda forma de amor.

 


 

FELIZ NATAL 3:

PS: GRANDE ABRAÇO PRA VOCÊS TAMBÉM.

sábado, 17 de dezembro de 2011

HOMENAGEM: NÃO TE ESQUECEREMOS.

CESÁRIA, a grande.


 
  
 
 
 

CONVITE LEGAL:


Amigos: vou contar histórias.
O espetáculo é para adultos e crianças!
Vai ser um prazer ver vcs por lá.
 Mil beijos. Cristina

Yluaê: Do fundo da terra, do alto do céu
Um espetáculo de histórias

Dia 18/12
Mostra BH
FUNARTE
Galpão 1
16h

Entrada Franca

No tempo em que a terra era pertinho do céu e que as frutas ainda nem tinham nome, quando não se sabia se era fita ou se era fato, um céu grita de dor e as estrelas surgem como pequenos olhos. O samba é encantado pelo beija-flor enquanto o porco tenta invadir uma festa lá no mato. Em Yluaê, o rei do fogo, vindo direto do Orum, convive com mulheres piladeiras e animais falantes. E salve Yemanjá!

ps: parabéns, Cristina. Vamos lá...

Palavras de Machado de Assis:



“O Sonho é uma festa do espírito” in Memórias Póstumas de Brás Cubas, romance.
“Deixem-me sonhar. A realidade é o luto do mundo, o sonho é a gala” in A Semana, crônica, 16 de junho de 1893.
“O reino dos sonhos era a minha casa da moeda” in Relíquias da Casa Velha, conto viagem à roda de mim mesmo.
“Um sonho? A vida não é outra coisa, velho pensamento e velha verdade” in Helena, romance.

 

FELIZ NATAL 2

ps. beijo pra vocês também.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Deschatificando a música clássica...


Notícia ótima. Há algum tempo falamos aqui do maestro Gustavo Dudamel, que estava (e continua) balançando os pilares da sisudez da música clássica. Confessadamente admiradores de Dudamel, os irmãos Prazeres, Felipe e Carlos, querem deschatificar a música clássica, para que todos (incluindo, nosostros, pobres mortais) usufruam dessa maravilha. Promovendo encontros, os irmãos conseguem que grupos de música pop e/ou folclórica se juntem às orquestras e toquem os clássicos. É lindo, comovente e aumenta nossa esperança de ‘ter manha,  ter graça,  ter sonho sempre...
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....’

 
Wagner Tiso está desde sempre nessa estrada, com pés, mãos e coração. E agora temos sinais felizes de que a boa música arraste multidões neste país de todas as sonoridades. Portanto, vamos lá, com todos os prazeres, ao encontro dos irmãos (entre outros) que nos trazem tais boas novas. 


BONS SONHOS

FELIZ NATAL 1

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Sugestão para reflexões durante este tempo dito de festas: Elogio à preguiça




p.s 1: nossa homenagem à Marilena Chauí, a quem ainda não fizemos nossas reverências sinceras, a quem é verdadeira referência nossa. 
p.s 2: primeiros votos de felicidade para todos: menos trabalho, mais reflexão. E um bocado da responsabilidade que nos conduz à liberdade.  

Convite lindo:


p.s: Parabéns, Ana!! Vamos lá gente.... poesia, alegria e sonho com bom gosto pra todo mundo.

Reflexão:

p.s: Obrigada, Lucas. Dias felizes pra você também.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Reflexões:


p.s: obrigada, Sarah.

Cinema brasileiro em Havana


 O cinema brasileiro saiu muito bem premiado do 33º Festival de Cinema de Havana, que distribuiu os prêmios de 2011, no último domingo, dia 11. Rodrigo Santoro recebeu o prêmio de melhor ator pela atuação em HELENO, que conta a história do jogador de futebol Heleno de Freitas, personalidade ímpar, ousada, polêmica, no Brasil dos anos 40. O filme é dirigido por José Henrique Fonseca, e vai estrear no Brasil no primeiro semestre do próximo ano. Abismo Prateado, outro filme brasileiro recebeu para melhor atriz para Alessandra Negrini e melhor trilha sonora. Tropa de Elite 2 foi premiado como melhor direção de ficção, melhor edição e Prêmio Especial. O festival de Havana é um dos mais tradicionais e queridos festivais de cinema da América.Viva o cinema brasileiro!

 

De Rosane para o Clube:


Desejo a todos do clube Quase-Ser-Tão muita Paz em suas vidas.
Esta música é uma forma de oração.
Rosane
 
Emmanuel

Flávio Venturini/Milton Nascimento

Eu não tenho asas pra voar
Nem sonho nada que não seja de sonhar
Sou um homem simples que nasceu
Das entranhas de um ato de amor
Seria primavera feliz
Se a voz dos homens entoasse a paz
Se o dom dos homens fosse a arte de amar
Se a luz dos homens
Fosse Emmanuel

 p.s: Obrigada, Rosane. Paz pra você também; e nosso abraço forte, com desejo e gratidão por sua presença com a gente.