sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Revisando.... versando.

"Ser mulher é algo difícil, já que consiste basicamente em lidar com homens" (Joseph Conrad)

José Ferraz de Almeida Jr, (Brasil 1850-1899). Moça lendo carta, MASP


Józef Teodor Konrad Korzeniowski nasceu em 1857, em Berditchev (Ucrânia), numa família de militantes contra o domínio russo.

Seu pai traduzia autores como Shakespeare e Victor Hugo. Antes de completar 12 anos, ficou órfão e sua educação foi confiada a um tio materno.
Escolheu a vida no mar. Aos 17 anos tornou-se aprendiz de marinheiro em Marselha, França. Em 1878, mudou-se para a Inglaterra, onde seguiu carreira na Marinha e ganhou cidadania inglesa, com o nome de Joseph Conrad.
Publica seu primeiro livro aos 38 anos, quando se aposenta da Marinha. Em 1895, lança A Loucura do Almayer, no qual descreve os europeus fracassados e perdidos que encontrou em ilhas do Pacífico. Em 1902, publica a novela O Coração das Trevas, em que narra o drama da destruição moral da Europa colonialista - a história de um líder branco entre selvagens do Congo.
Considerado um dos maiores estilistas da prosa inglesa, Conrad nunca chegou a dominar, falando, a língua em que escrevia. Entre seus principais livros estão Lord Jim (1900), Nostromo (1904), O Agente Secreto (1907), Sob os Olhos Ocidentais (1911) e A Linha de Sombra (1917). Joseph Conrad morreu em 1924, na Inglaterra.

“É o mais intenso de todos os relatos que a imaginação humana jamais concebeu.” Jorge Luis Borges sobre O coração das Trevas.

(filme inspirado na obra de Conrad, Coração das Trevas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário