quarta-feira, 2 de março de 2011

Momento Rubem Fonseca


“(...)11 – O pensamento da gente é a coisa mais rápida que existe. Tenho a impressão de que não tenho mais nenhuma missão a cumprir, de que minha vida está sem projeto a realizar. Sinto, agora, uma enorme preguiça e deixo-me ficar ouvindo os sons da noite. Alguns vêm da rua, mas a esses eu não dou importância. Os sons realmente graves vêm de dentro da casa. A maioria não é identificável. Fantasmas? Acabo de ouvir um rangido, mas ele não me deixa apreensivo; entrego-me às baratas. Ladrões? Estou tão cansado que já não quero saber de nada. Que roubem tudo. Que me matem; assustar já não me assustam. Uma porta bateu. Fico com ouvidos de tuberculoso: ouço o tique-taque do relógio de pulso na mesa-de-cabeceira. Fechei as portas? Não quero mais pensar nisso. Passei a vida pensando em fechar portas. De qualquer maneira, apesar da enorme dúvida, sei que as fechei. E também janelas, basculantes, tudo. Tudo fechado. Mas ouço um barulho diferente. Talvez pés levíssimos levando um corpo franzino, e um outro coração batendo, e outro pulmão respirando. Não pensarei mais no passado. Sei.”

In O Inimigo, Rubem Fonseca, 64 contos, Companhia das Letras, RJ, 2004.

Rubem Fonseca é um escritor brasileiros, dos maiores. Porque sua personalidade é das mais singulares. Aderiu às novas mídias, e lançou seu livro ‘O seminarista’ também digitalizado, – compatível ao Kindle e ao iPhone. Não perca isso, é muito bom.


http://www.youtube.com/watch?v=XSwahAokwyA

Nenhum comentário:

Postar um comentário