quinta-feira, 10 de março de 2011

MULHER 10:


“Obrigada, às vezes a gente esquece como é bom receber um elogio. Por fora estou mais apresentável, mas por dentro as mudanças ainda me desalinham. Torço para conseguir passar 24 horas sentindo a mesma coisa, seja o que for. Um dia inteiro triste, ou um dia inteiro alegre. Por enquanto sigo alternando sobriedade e embriaguez emocional. Sou capaz de dizer as coisas mais lúcidas a respeito de relacionamentos e no minuto seguinte me acabar chorando no banheiro”.

In Divã, Martha Medeiros, Objetiva, RJ, 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário