sexta-feira, 18 de março de 2011

Mulher 18


Utensílios

Lu Menezes

Para extrair

do alumínio seu lúmen

usaria

o desusado, exaurido

verbo “haurir”


Arearia


panelas

à beira de um rio, mergulhada

no alumínio luzidio


– haurindo-o –

polindo-lhe


a índole de água

e o ímpeto de prata

com grãos

de ouro de areia

arearia


“ourada”


submersa em seu domínio.

In Os cem melhores poemas brasileiros do século, seleção: Ítalo Moriconi. RJ, Objetiva; 2001. Poema originalmente publicado em 1997.

Nenhum comentário:

Postar um comentário