quarta-feira, 2 de março de 2011

Mulher 2:


(...) “Já vem o peso da vida,

Já vem o peso do tempo:

Pergunta pelos culpados

Que não passarão tormentos,

E pelos nomes ocultos

Dos que nunca foram presos.

Diante do sangue da forca

E dos barcos do desterro,

Julga os donos da Justiça,

Suas balanças e preços.

E contra os seus crimes lavra

A sentença do desprezo.”

In Romanceiro da Inconfidência, Cecília Meireles,Poesias Completas, Civilização Brasileira, 1979.

Nenhum comentário:

Postar um comentário