sábado, 5 de março de 2011

MULHER 5:


“Que suplicio catar papel autalmente! Tenho que levar a minha filha Vera Eunice. Ela está com dois anos e não gosta de ficar em casa. Eu ponho o saco na cabeça e levo-a nos braços. Suporto o peso do saco na cabeça e suporto o peso de Vera Eunice nos braços. Tem hora que revolto-me. Depois domino-me. Ela não tem culpa de estar no mundo”.

In Muito bem, Carolina!, biografia de Carolina Maria de Jesus, Eliana de Moura Castro/ Narília Novais de Mata Machado, Editora c/Arte, BH, 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário