quarta-feira, 16 de março de 2011

Um pouquinho de memória... Gurdjieff:

Encontros com Homens Notáveis é a autobiografia de G. I Gurdjieff, publicada originalmente em 1963. (No Brasil, pela Editora Pensamento, São Paulo, em 1974, e filmado por Peter Brooks em 1979, belo filme com Terence Stamp). É a segunda parte da trilogia dos ensinamentos deste homem notável, entitulada “Do todo e de todas as Coisas”. O livro fala sobre as reminiscências de Gurdjieff acerca dos vários "homens notàveis" que ele encontrou, começando por seu pai, o sacerdote Pogossiano da igreja apostólica da Armênia, um príncipe russo filósofo, entre outros. Homens notáveis aqui, significa ‘buscadores da verdade’.
A maioria deles de fato acha a "verdade" na forma de um tipo de destino espiritual sutil. Afirma-se que a maioria das pessoas normalmente vivem as suas vidas sem despertar, inconscientes de si mesmos, e agem como maquinas, sujeitas a causas externas e pressões. Também, um dos pontos fortemente expressos na história é que as pessoas das épocas passadas viviam em mais sutis condições e mais altos niveis interiores que as pessoas de hoje. Muitas outras harmonias ocultas são mencionadas ou aludidas.

Atual, né? “Fora das agitações da vida, existe outra coisa, que deveria ser a meta e o ideal de todo homem mais ou menos capaz de pensar – e que só essa outra coisa pode tornar o homem verdadeiramente feliz e trazer-lhe valores reais.”

“Never forget that every stick has two ends. The devil can lead you to Paradise, and God directly to Hell.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário