terça-feira, 31 de maio de 2011

Arte e vida.... uau, Cristiano, bom demais....

     Olá,

este foi o último vídeo que fiz de malabares...
http://www.youtube.com/watch?v=gdK9EI2Kj_E
Espero que gostem e que o youtube não retire a música...
Abraço
Cristiano



ps: muito obrigada!

Terminando o Maio, depois de Drummond, cinema, Paul, Dylan.... homenagem às artistas do clube Quase-Ser-Tão, por Luis Fernando Veríssimo. (em tempo, por essas e outras, eu OS acho IMPRESCINDÍVEIS!

Mulheres
"Certo dia parei para observar as mulheres e só pude concluir uma coisa: elas não são humanas. São espiãs. Espiãs de Deus, disfarçadas entre nós.
Pare para refletir sobre o sexto-sentido.
Alguém duvida de que ele exista?
E como explicar que ela saiba exatamente qual mulher, entre as presentes, em uma reunião, seja aquela que dá em cima de você?
E quando ela antecipa que alguém tem algo contra você, que alguém está ficando doente ou que você quer terminar o relacionamento?
E quando ela diz que vai fazer frio e manda você levar um casaco? Rio de Janeiro, 40 graus, você vai pegar um avião pra São Paulo. Só meia-hora de vôo. Ela fala pra você levar um casaco, porque "vai fazer frio". Você não leva. O que acontece?
O avião fica preso no tráfego, em terra, por quase duas horas, depois que você já entrou, antes de decolar. O ar condicionado chega a pingar gelo de tanto frio que faz lá dentro!
"Leve um sapato extra na mala, querido.
Vai que você pisa numa poça..."
Se você não levar o "sapato extra", meu amigo, leve dinheiro extra para comprar outro. Pois o seu estará, sem dúvida, molhado...
O sexto-sentido não faz sentido!
É a comunicação direta com Deus!
Assim é muito fácil...

As mulheres são mães!
E preparam, literalmente, gente dentro de si.
Será que Deus confiaria tamanha responsabilidade a um reles mortal?

E não satisfeitas em ensinar a vida elas insistem em ensinar a vivê-la, de forma íntegra, oferecendo amor incondicional e disponibilidade integral.
Fala-se em "praga de mãe", "amor de mãe", "coração de mãe"...
Tudo isso é meio mágico...
Talvez Ele tenha instalado o dispositivo "coração de mãe" nos "anjos da guarda" de Seus filhos (que, aliás, foram criados à Sua imagem e semelhança).
As mulheres choram. Ou vazam? Ou extravazam?
Homens também choram, mas é um choro diferente. As lágrimas das mulheres têm um não sei quê que não quer chorar, um não sei quê de fragilidade, um não sei quê de amor, um não sei quê de tempero divino, que tem um efeito devastador sobre os homens...
É choro feminino. É choro de mulher...
Já viram como as mulheres conversam com os olhos?
Elas conseguem pedir uma à outra para mudar de assunto com apenas um olhar.
Elas fazem um comentário sarcástico com outro olhar.
E apontam uma terceira pessoa com outro olhar.
Quantos tipos de olhar existem?
Elas conhecem todos...
Parece que freqüentam escolas diferentes das que freqüentam os homens!
E é com um desses milhões de olhares que elas enfeitiçam os homens.
EN-FEI-TI-ÇAM !
E tem mais! No tocante às profissões, por que se concentram nas áreas de Humanas?
Para estudar os homens, é claro!
Embora algumas disfarcem e estudem Exatas...
Nem mesmo Freud se arriscou a adentrar nessa seara. Ele, que estudou, como poucos, o comportamento humano, disse que a mulher era "um continente obscuro".
Quer evidência maior do que essa?
Qualquer um que ama se aproxima de Deus.
E com as mulheres também é assim.

O amor as leva para perto dEle, já que Ele é o próprio amor. Por isso dizem "estar nas nuvens", quando apaixonadas.
É sabido que as mulheres confundem sexo e amor.
E isso seria uma falha, se não obrigasse os homens a uma atitude mais sensível e respeitosa com a própria vida.
Pena que eles nunca verão as mulheres-anjos que têm ao lado.
Com todo esse amor de mãe, esposa e amiga, elas ainda são mulheres a maior parte do tempo.
Mas elas são anjos depois do sexo-amor.
É nessa hora que elas se sentem o próprio amor encarnado e voltam a ser anjos.
E levitam.
Algumas até voam.
Mas os homens não sabem disso.
E nem poderiam.
Porque são tomados por um encantamento
que os faz dormir nessa hora."
(óleo sobre tela de Zélia Evangelista)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Autoretrato:

"Cada um de nós é vários, é muitos, é uma prolixidade de si mesmos. Por isso aquele que despreza o ambiente não é o mesmo que dele se alegra ou padece. Na vasta colônia do nosso ser há gente de muitas espécies, pensando e sentindo diferentemente".

in O Livro do Desassossego, Fernando Pessoa, (anotações de 30/12/1932)




 (óleo sobre tela de Zélia Evangelista)

Não Fume!


Dia Mundial sem Tabaco, celebrado no próximo dia 31(amanhã). A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde em 1987, e marca a importância do combate ao uso de tabaco.


No Brasil, a campanha deste ano envolverá a estátua do Cristo Redentor. Na noite do dia 31 o Cristo será iluminado de vermelho numa cerimônia que reunirá participantes dos dois eventos da moda (Rio à Porter e Fashion Rio) que acontecem, nesta semana, na cidade do Rio de Janeiro.
Pensamos: faz tempo que fumar é sinal de decadência... entre outros equívocos graves.

domingo, 29 de maio de 2011

Juan Gelman e Eduardo Galeano: 'o importante é que a nossa emoção sobreviva'


 A arte e o tempo
“Quem são os meus contemporâneos? – pergunta-se Juan Gelman.
Juan diz que às vezes encontra homens que têm cheiro de medo, em Buenos Aires, em Paris ou em qualquer lugar, e sente que estes homens não são seus contemporâneos. Mas existe um chinês que há milhares de anos escreveu um poema, sobre um pastor de cabras que está longe, muito longe da mulher amada e mesmo assim pode escutar, no meio da noite, no meio da neve, o rumor do pente em seus cabelos; e lendo esse poema remoto, Juan comprova que sim, que eles sim: que esse poeta, esse pastor e essa mulher são seus contemporâneos.”

Profissão de fé
“Sim, sim, por mais machucado e fodido que a gente possa estar, sempre é possível encontrar contemporâneos em qualquer  lugar do tempo e compatriotas em qualquer lugar do mundo. E sempre que isso acontece, e enquanto isso dura,a gente tem a sorte de sentir que é algo na infinita solidão do universo: alguma coisa a mais que uma ridícula partícula de pó, alguma coisa além de um momentinho fugaz.”

In Eduardo Galeano, O livro dos abraços, L&PM Pocket, Porto Alegre, 2005.

Fábricas del amor

I

Y construí tu rostro.
Con adivinaciones del amor, construía tu rostro
En los lejanos patios de la infancia.
Albañil con vergüenza,
Yo me oculté del mundo para tallar tu imagen,
Para darte la voz,
Para poner dulzura en tu saliva.
Cuantas veces temblé
Apenas si cubierto por la luz del verano
Mientras te describía por mi sangre.
Pura mía
¿Estás hecha de cuántas estaciones
Y tu gracia desciende de cuántos crepúsculos?
Cuántas de mis jornadas inventaran tus manos.
Qué infinito de besos contra la soledad
Hunde tus pasos en el polvo.
Yo te oficié, te recité por los caminos,
escribí todos tus nombres al fondo de mi sombra
Te hice un sitio en mi lecho,
te amé, estela invisible, noche a noche.
Así fue que cantaron los silencios.
Años y años trabajé para hacerte
Antes de oír un solo sonido de tu alma.

In Juan Gelman, Amor que serena, termina?, Edição bilíngue, Tradução e seleção Eric Nepomuceno, Record, Rio de Janeiro, 2001.

sábado, 28 de maio de 2011

Cultura e saudade. Bob Dylan, o homem.


As 70 coisas que você deve saber sobre Bob Dylan

1 - Bob Dylan nasceu Robert Allen Zimmerman, em uma pequena cidade mineradora de Minessota. Ele se reinventou em 1959, quando foi para a universidade e se autobatizou com o nome com o qual ficou famoso.

2 - Seu nome artístico foi inspirado no poeta inglês Dylan Thomas, ídolo da geração beat.

3 - Dylan costumava inventar histórias sobre seu passado: dizia ser descendente de índios sioux , que estava abandonado e que vinha de Ocklahoma. Na verdade, ele vinha de uma abastada família judia.

4 - Dylan mudou-se para Nova York em 1961. O músico queria integrar-se a cena local - reduto de artistas e cantores folk e conhecer Woody Guthrie.

5 - Woody Guthrie foi a principal referência musical do início da carreira de Dylan: Guthrie era representante da chamada "canção de protesto" dos anos 40 e 50, feita com arranjos de folk e fortemente influenciada pelo pensamento de esquerda.

6 - Greenwich Village era o palco da música folk. O bairro de Nova York também viu as primeiras aparições de Dylan e foi reduto da geração beat. 


  7 - A primeira namorada de Dylan em Nova York foi a artista Suze Rotolo. Ela é considerada a musa que teria inspirado algumas das primeiras canções de amor de Dylan, entre elas "Don't Think Twice, It's All Right", "Boots of Spanish Leather" e "Tomorrow Is a Long Time".

8 - Rotolo foi fotografada com Dylan na capa de seu álbum de 1963 "The Freewheelin' Bob Dylan". Ela tinha 17 anos quando começou a namorar Dylan, em 1961 e morreu em fevereiro deste ano, aos 67 anos.

9 - Em agosto de 1963, Bob Dylan participou da célebre "Marcha sobre Washington por empregos e liberdade" - ocasião em que Martin Luther King fez o discurso "I Had a Dream".

10 - Após a morte do presidente John F. Kennedy em novembro de 1963, Bob Dylan afastou-se do ativismo folk e tornou-se musicalmente mais próximo do rock n' roll. Dizem que ele tinha medo de ser assassinado também.

11 - "Se não gostaram o suficiente daquele cara (Kennedy), o que seria de mim?", perguntou ele no documentário "No Direction Home", de Martin Scorcese.

12 - A mudança de estilo causou polêmica. No festival folk de Newport, a adoção de guitarras elétricas causou revolta no público. O cantor folk Peter Seeger tentou cortar os cabos durante o show com um machado, enquanto a platéia vaiava ostensivamente seu ídolo, chamando-o de "traidor".

13 - A cantora de folk Joan Baez teve um romance breve com Dylan em 64, sem saber que ele saía também com Sara Lownds, que se tornaria sua primeira mulher. Joan ajudou a divulgar o trabalho de Dylan e isso despertou a atenção do público pelo romance entre eles.

14 - Em uma entrevista em 1966, o cantor assumiu ao jornalista Robert Shelton ter usado heroína e estar se livrando do vício. Apenas agora essa declaração foi divulgada, já que na época a editora cortou boa parte da entrevista.

15 - "Eu me livrei de uma dependência de heroína em Nova York. Eu tive uma dependência muito, muito forte por um tempo. Gastava US$ 25 por dia (equivalente a cerca de US$ 180 hoje) e consegui me livrar", disse Dylan a Robert Shelton em 66.

16 - Robert Shelton foi um grande amigo de Dylan. O jornalista do "New York Times" foi o primeiro a publicar uma resenha elogiando o músico e a incentivar sua carreira.

17 - Shelton é o autor da biografia "No Direction Home", que ganhou uma nova edição este ano pela editora Larousse. 
18 - Quando Bob Dylan mudou o estilo, o músico começou a ser acompanhado pelo grupo "The Hawks". Com o tempo, o público começou a chamá-los apenas de "a banda" e eles acabaram adotando o nome "The Band".

19 - Dylan e os integrantes da "The Band" se reuniram na cidade rural de Woodstock no início de 1969 para gravar um disco pirata. A série de gravações, feitas em uma cabana, ficou conhecida como "Bob Dylan's Basement Tapes" ("As Fitas do Porão de Bob Dylan").

20 - O disco pirata, conhecido como "Great White Wonder" ou simplesmente "GWW", era composto principalmente de material de Dylan sozinho no violão, porém haviam sete faixas com banda, material gravado em Woodstock no porão da casa.

21 - "Queria colocar fogo nesses tipos", afirmou Bob Dylan sobre os hippies, lembrando como fãs subiram no teto de sua casa em Woodstock para tentar entrar.
22 - O documentário "Don't Look Back" sobre a turnê de Dylan pela Inglaterra é considerado um clássico. Dirigido pelo D.A. Pennebaker, foi lançado em 67 e mostra os bastidores das apresentações, com Dylan conversando com os amigos e sua equipe e interagindo com fãs e a imprensa.

23 - "O mundo era absurdo... Eu tinha poucas coisas em comum com uma geração que não conhecia e da qual se supunha que era um dos porta-vozes", escreveu Dylan em sua autobiografia "Crônicas Vol. 1", falando sobre os anos 60.

24 - Há vários livros, filmes e documentários contando a história de Bob Dylan. Em 2004, com "Crônicas Vol. 1", ele contou a própria versão da sua vida e carreira.

25 - O livro traz revelações sobre todas as épocas, dos tempos de infância e adolescência até gravações de trabalhos mais recentes. Desde então, aguardam-se novos volumes das "Crônicas" - o artista já afirmou que continua escrevendo o material.

26 - "Escrever minha biografia foi uma experiência emocionante em alguns momentos. Mas para ser honesto, também vivi isso como um processo mais tedioso.", explicou ele no jornal britânico "Telegraph".

27 - Em 1976, os integrantes da The Band resolveram dissolver o grupo e fazer um concerto de despedida. A princípio, convidaram Dylan e Ronnie Hawkings, mas o convite estendeu-se a outros músicos e o concerto "The Last Waltz" virou um grande evento.

28 - Gravado por Martin Scorcese para tornar-se um documentário, "The Last Waltz " foi chamado de "o melhor filme de rock já produzido". Mas Dylan não queria ser filmado, porque na época fazia um projeto próprio. Ele só foi convencido quando Scorcese garantiu que "The Last Waltz" seria adiado até que Dylan lançasse seu filme.

29 - "Renaldo & Clara", filme de Dylan que adiou o lançamento de "The Last Waltz", documentário de Scorcese, foi considerado um fiasco, "um exercício de narcisismo de Dylan" e caiu no esquecimento.

30 - Dylan teve uma mudança de voz devido a uma grave bronquite no inverno de 1960. Embora recuperado, ele temia que sua voz tivesse sido danificada.

31 - Dylan nunca se preocupou com as finanças e chegou a empenhar o próprio violão.

32 - O empresário Harold Leventhal foi quem promoveu o primeiro grande show de Dylan em Nova York, em 1963.

33 - Foi Martin Scorcese quem produziu o documentário "No Direction Home", em que traça a vida de Bob Dylan e seu impacto na música e na cultura entre 1961 e 1966. O filme mostra a metamorfose do cantor folk para a rockstar enigmático que era idolatrado até pelos Beatles.

34 - "O Bob Dylan é tipo com um chapéu", diz Bob Dylan, de cabeça descoberta, a uma senhora que lhe pergunta onde está Bob Dylan em uma cena do filme "Renaldo & Clara".

35 - Dylan também fez suas incursões na literatura. Em "Tarantula", livro publicado em 71, ele brinca com exercícios de fluxo de consciência e tem influência de Jack Kerouac e Allen Ginsberg. Hoje é considerado raridade em sebos no Brasil.

36 - Ele teve seu momento de "conversão" ao Evangelho e lançou alguns trabalhos voltados para o mercado gospel após seu divórcio, em 1977, da esposa Sara Lownes, com quem era casado desde 65. Ele filiou-se a uma igreja e converteu-se ao protestantismo.
37 - Depois do divórcio com Sara, Dylan fez uma turnê mundial para reabastecer a conta bancária.

38 - Motivado por sua nova espiritualidade, Dylan gravou três álbuns: "Slow Train Coming" (1979), deu a ele um Grammy de melhor vocal masculino pela canção "Gotta Serve Somebody". O segundo álbum, "Saved" (1980), teve uma recepção menos entusiasmada, e "Shot of Love" (1981) encerra a fase cristã de Dylan.

39 - Bob Dylan adorava a década de 50. Além de ser fã confesso do ator James Dean, ele produziu o 33º álbum de sua carreira, "Together Through Life", em 2009, com inspirações nos anos 50.

40 - Em 1988, os músicos George Harrison, Jeff Lynne, Roy Orbison e Tom Petty se reuniram a Dylan no estúdio dele, em Santa Mônica, para gravar a canção "Handle with Care", que faria parte do lado B do single "This Is Love", do álbum Cloud Nine de George Harrison.
41 - O encontro rendeu a ideia de os músicos gravarem um álbum juntos. Lançado sob vários pseudônimos, "Traveling Wilburys Vol. 1" alcançou o posto número 79 da lista dos cem melhores discos dos anos 1980 publicada pela revista musical "Rolling Stone" e recebeu uma indicação a Álbum do Ano no prêmio Grammy.

42 - Apesar da morte de Roy Orbison em dezembro de 88, o grupo Traveling Wilburys gravou um último álbum sob pseudônimos distintos, chamado "Traveling Wilburys Vol. 2". Metade das canções do álbum foram compostas por Dylan.

43 - Dylan teve cinco filhos. O caçula do legado com Sara Lownes, Jakob Luke Dylan, nasceu em 1969, é vocalista e principal compositor da banda The Wallflowers. Apesar de ser uma banda de rock, The Wallflowers tem arranjos de folk/country e um formato acústico.

44 - "Sonhava com uma vida normal, trabalhar das 9 às 17 horas, ter uma casa com árvores, uma cerca de madeira pintada de branco e rosas no jardim", conta o cantor na autobiografia.

45 - "Like a Rolling Stone" foi considerada por especialistas da música como a melhor música de todos os tempos segundo uma pesquisa da revista "Rolling Stone". Ela marca a passagem de Dylan do acústico para o elétrico.

51 - Carol Dennis, ex-integrante da banda de Bob Dylan, se casou secretamente com ele e tiveram uma filha chamada Gabrielle Dennis Dylan. O casal ficou junto de 1986 a 1992.

52 - "Me sentia como um pedaço de carne atirado aos cães", lembra, culpando a imprensa por colocá-lo no papel de "porta-voz e até da consciência de uma geração".

53 - Em 1997 surgiram rumores de que Dylan estaria morrendo. Embora tenha tido uma séria inflamação no coração, ele saiu do hospital pouco tempo depois.

54 - "Eu realmente pensei que logo veria Elvis", declarou o cantor após sair do hospital, quando teve o problema no coração.

55 - A canção "Forever Young" virou livro infantil pelas mãos do próprio Dylan. O livro ilustrado narra a história de um garoto através de imagens, músicas e momentos da vida de Bob Dylan e segue os passos do ídolo na música.

56 - Dylan recebeu um Oscar de Melhor Canção Original pela música "Things Have Changed", do filme "Garotos Incríveis" (2000). Desde então, Dylan leva o Oscar em suas turnês.

57 -"Encontrei as coisas que preferia: os aniversários, acompanhar meus filhos à escola, as férias no acampamento, no barco, a canoa e pescar", conta, sobre a paz interior que chegou somente depois dos anos 70.

58 - O álbum "Modern Times", lançado em 2006, foi considerado "Melhor Álbum do Ano" pela revista "Rolling Stone".

59 - O cantor recebeu o título de doutor honoris causa em música pela Universidade de Saint Andrews (Escócia) em 23 de junho de 2004.

60 - Em 2007, Todd Haynes lançou o filme "I'm not There", uma biografia fictícia de Bob Dylan. São seis versões de Dylan, todas interpretadas por diferentes atores e inspiradas em suas diferentes fases artísticas.

61 - "I'm not There" é uma ficção, mas é também uma análise fantástica de sua obra. Confuso e fragmentado, sintetiza o legado artístico do homem como nenhum documentário conseguiu.


62 - O ator Ben Whishaw encarnou uma versão do poeta Arthur Rimbaud no filme. Considerado uma das influências de Bob Dylan, o poeta faz comentários irônicos sobre a arte durante um interrogatório.

63 - A atriz Cate Blanchett foi indicada ao Oscar de melhor Atriz Coadjuvante pela sua performance como Bob Dylan.

64 - Dylan também dá seus passeios pelas artes plásticas, mas a crítica foi severa com a exposição que ele realizou ano passado, no museu Statens Museum for Kunst, de Copenhague. "The Brazil Series" inclui cerca de 40 pinturas em acrílico e oito desenhos sobre o Brasil, realizados entre 2009 e março de 2010.

65 - Dylan fez seu primeiro show na China em abril deste ano. Dylan foi chamado duas vezes para tocar "Like a Rolling Stone" e "Forever Young", diante de um público de maioria jovens chineses e estrangeiros mais velhos.
66 - Nos shows de Pequim e Xangai, ele deixou de fora do repertório algumas de suas músicas mais emblemáticas e famosas pelo caráter político, como "Blowin in the Wind".


67 - A Sony Music comemorou os 30 anos de carreira de Dylan com um show no Madison Square Garden.

68 - Recentemente, a edição americana da revista "Rolling Stone" elencou as dez canções prediletas da revista.
Entre elas está "Forever Young" e "Like a Rolling Stone". 

69 - A música de Dylan com maior número de acessos no Youtube é "Tangled Up In Bleu", com mais de 3 milhões de cliques.

70 - Bob Dylan deve voltar ao Brasil ainda este ano. Em sua quarta visita ao País, Dylan está cotado para se apresentar no SWU. Ele veio ao país pela última vez em 2008. 


p.s: fonte Diário Catarinense, em 24/05/2001

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Alô todo mundo ..... Primeiro sinal: venha ser feliz com a gente....

Magda,
Enviei uma mensagem aos produtores do Pato Fu e me confirmaram que dia 12 de Junho haverá uma apresentação GRATUITA do Show Música de Brinquedo na Praça da Liberdade!
Avise a todas as crianças que gostariam de ir!!! Pra variar, eu vou de novo.Beijos

Segue a resposta:
ENVIADO:
Subject: Show em BH

Boa Noite!!
Infelizmente várias crianças não conseguiram ingresso para o show aqui em BH agora nos dias 30 de Abril de 1 de Maio, gostaria de saber se realmente está confirmada a apresentação na praça da Liberdade dia 12 de Junho!
Obrigada!!
Um grande abraço a todos
Gisella


RESPOSTA:
Date: Mon, 16 May 2011 12:29:10 -0300
From: fumail@terra.com.br
Subject: Re: Show em BH - Pato Fu

sim, está!


: )

CONVITE

A Associação Mineira de Psiquiatria promove entre os dias 01 e 04 de junho o XIII Congresso Mineiro de Psiquiatria,  sob o tema PSIQUIATRIA E RESPONSABILIDADE. Desde já festejamos a direção do Congresso pela iniciativa e coragem de levantar a questão Responsabilidade e Atividade Médica. Estaremos lá, e convidamos vocês para acrescentar ao nosso esforço no trabalho pela Saúde.  
Veja a programação completa no site da AMP: http://www.ampmg.org.br/

Reflexões: Efeito Paul McCartney

1. Porta do Engenhão, noite de sábado, véspera do show de McCartney: papo e cafezinho servido por fãs aos sorridentes policiais.

2. 40.000 pessoas felizes, cantando e dançando durante cerca de 3:00 horas, entre 12 e 70 anos. Dia seguinte: idem.

3. 40.000 pessoas saem do estádio ao mesmo tempo, em direção ao trem, num fluxo apertado e sem saída alternativa. Nenhum tumulto foi registrado. Dia seguinte, idem.

4. ...

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Educação e animais de estimação: aprendendo a amar a todos os seres ...


ps. obrigada, Gisella.

Ainda pensando e perguntando: o que se passa? Paul McCartney again.

  Reflexões de alguém Perplexo: (mas decidido a romper a paralisia...)



RIO - Todo mundo já sabe de trás para a frente e de cor e salteado como foram os shows que Paul McCartney fez no Rio de Janeiro. Mas ainda há detalhes, pequenos e divertidos, que merecem ser lembrados. Por isso, elaboramos uma lista de curiosidades sobre os dois dias em que os cariocas se encontraram com o ex-beatle no Engenho de Dentro. Acompanhe:
2h36m - tempo de duração do show de domingo
2h35m- tempo de duração do show de segunda-feira
Zero- foi o número de garrafas d'água consumidas por Paul durante os shows. Como este senhor se hidrata?
1 - foi o número de vezes que esta reportagem ouviu um engraçadinho gritar "Toca Raul!" durante os shows.
7 - número de músicas em que a gravata resistiu no pescoço do ex-beatle no show de segunda-feira
33 - número de músicas tocadas nos dois shows, com um medley de "The end" no fim de cada apresentação
90.000 - Totalidade do público presente aos dois shows - 45 mil por noite. Lotação esgotada no engenhão, que finalmente, dizem as más línguas, viu casa cheia
Ficaram de fora - Tocadas em Porto Alegre e em São Paulo, "Venus and Mars" e "Rockshow", do Wings, e "Highway", do Fireman, não deram o ar da graça no Engenhão
"Minha nova gatinha linda" Outra que ficou de fora foi "My love", dos Wings. Dedicada à sua falecida mulher Linda McCartney nos shows de Porto Alegre e São Paulo, a música foi retirada do setlist. Seria em respeito à noiva de Sir Paul, Nancy Shevell, que assistiu aos shows do Rio?
Citações obrigatórias - o riff de "Foxy lady", de Jimi Hendrix, em "Let me roll it", e o refrão de "Give peace a chance", de John Lennon, em "A day in the life"
"First time in Rio" - "Ob-la-di-Ob-la-da" foi tocada pela primeira vez no Rio no domingo
Nunca antes na história dessa turnê - "Coming up" e "I saw standing there" foram tocadas pela primeira vez na turnê brasileira no último show do Rio.
Bordão - A palavra "demaish", com direito a sotaque carioca, foi repetida mais de uma dezena de vezes pelo Paul
Estilo - No domingo, camisa branca com gola e punhos azuis. Na segunda, camisa azul com gola e punhos brancos
Haja fôlego- quatro minutos cravados foi a duração do corinho do "Na na na" de "Hey Jude" no domingo
Sujeito equilibrado - Desta vez, Paul se manteve na vertical e não levou nenhum estabaco, como no primeiro show de São Paulo, em novembro passado
Na fila- Uma hora foi o tempo médio de espera para entrar no Engenhão, tanto no domingo como na segunda-feira
A deflação do salsichão - no fim da fila, a iguaria típica da gastronomia de rua era vendida a R$ 2. No meio, a R$ 1,5. À beira dos portões do Engenhão, o preço caía para R$ 1.
Do lado de dentro - A cerveja era vendida a R$ 5, a pipoca saía por R$ 6 e o sanduíche natural custava R$ 10.
Do lado de fora - A latinha de cerveja saía a R$ 2,50 (R$ 3 o latão), tinha croquete por R$ 2 e sopa de ervilha a R$ 3.
R$ 2- preço cobrado pela utilização de um banheiro improvisado nas imediações do Engenhão
R$ 3 - valor cobrado por um banho rápido do lado de fora do estádio. Para quem estava na fila há dias, era bom negócio
Momento fofura - Ao todo, quatro bichinhos de pelúcia foram atirados ao palco
Melhor flash mob - Os cartazes com "Na na na"s e balões coloridos erguidos pela plateia no domingo fizeram bater mais forte o coração do velho Macca
20 trocas de instrumentos - entre baixo, três tipos de guitarra, dois pianos, violão, bandolim e até um ukulele, Paul trocou de instrumentos como Tim Maia trocava de camisa
Curso de línguas - quatro folhas de papel pregadas no chão eram a "colinha" de Paul, com o set list e as frases em português para se comunicar com o público
Momento Homem-Aranha - o fã que escalou a torre da mesa de som para aparecer na segunda-feira. Teve seus 15 segundos de fama
Ficou no vácuo - o corinho de "Obla di Obla da" no domingo
Fantasia mais popular - Fãs vestidos como os Beatles na capa do disco "Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band"
Cartaz mais visto - "Paul, me autografa pra eu fazer uma tatuagem"
Melhor funk - "É o Paul, é o Paul, é o Paul, é o Paul, é o Paul", adaptação do funk "É o Pet", cantado por um ambulante na fila antes do show de domingo
#todoschora - A homenagem a George Harrison em "Something". Emocionante
Pior tentativa de português - "Valêiu" (era para ser "Valeu")
Melhor dançarino de Macarena - o baterista Abe Laboriel Jr., que fez a clássica dancinha enquanto tocava bumbo em "Dance Tonight"
Momento vintage - a guitarra Epiphone Casino usada no show em "Paperback writer" foi a mesma usada durante a gravação da canção em 1966
Black is beautiful - "Blackbird", inspirada nos conflitos raciais dos Estados Unidos na década de 1960, foi dedicada à luta pelos direitos civis dos negros
Peso pesado - para encantar os cariocas, Paul trouxe 80 toneladas de equipamento ao Rio
Alta definição - Os telões laterais têm altura aproximada de um prédio de 8 andares
Tamanho do palco - Cerca de 70m de largura e 24m de profundidade
Amor aos animais - No camarim, Paul exigiu que nenhuma mobília do camarim fosse feita de pele animal. Proibiu até mesmo estampas que lembrassem zebrinhas ou oncinhas. Nem couro artificial ele permitiu
Bebedeira - Ainda para o camarim, o músico fez os seguintes pedidos: água, leite de soja sem açúcar, chás de menta e verde e vinho francês Margaux. Já para o buffet, Paul fez questão de uvas sem semente, laranjas, bananas e... batatas fritas 


ps: fonte O Globo, de Erika Azevedo, Lívia Brandão e Ricardo Calazans

Reflexão 1: Paul não é um ex-beatle, ele É ainda o mais puro e vivo espírito Beatle. Ponto.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Convite: Tai Chi na Liberdade

Bom dia para todos!

É com grande prazer que convido a todos a participarem do AULÃO DE TAI-CHI-CHUAN, Praça da Liberdade, no dia 29/05/2011, no horário de 9:00 às 10:30 da manhã. Conto com presença de todos.
Professor José Vicente
Um abraço para todos. TI CHI CHUAN A ARTE DA LONGA VIDA.

Vencedores de Cannes/2011: com algum atraso!

Com um roteiro focado na vida moderna, e a questão da fé dentro desta atualidade, e Brad Pitt como protagonista, o filme “A Árvore da Vida” do americano Terrence Malik conquistou a Palma de Ouro de Melhor Filme. Gostei desse resultado (por enquanto, pois ainda não vi o filme). Mas gosto do chamado bissexto diretor Terrence Malik [“Terra de Ninguém” (1973), “Cinzas do Paraíso” (1978), “Além da Linha Vermelha” (1998) e “O Novo Mundo” (2005).}, e o filme ficou longe da unanimidade em Cannes. A estréia foi muito aplaudida e vaiada ao mesmo tempo.

Kirsten Dunst levou o prêmio de Melhor Atriz por seu papel em “Melancolia”, apesar da confusão que o desastrado diretor Lars von Trier conseguiu arranjar com declarações infelizes que o levaram a ser oficialmente banido do Festival. Ao todo, foram exibidos cerca de 100 filmes desde o dia 11 de maio, quando o evento teve início. Além da Palma, que é o principal troféu do evento, foram entregues mais oito prêmios.

O empate na categoria “Grande Prêmio” entre os filmes “O Garoto de Bicicleta” e “Once Upon a Time em Anatolia”, e a vitória da “Camêra de Ouro” pelo diretor Pablo Giorgelli - da produção alternativa “Las Acacias” – foram as surpresas. Aos poucos falaremos mais sobre estas obras.


Vencedores do 64º Festival Cinematográfico de Cannes:
 

Palma de Ouro: "A árvore da vida", de Terrence Malick (EUA)

Atriz: Kirsten Dunst, por "Melancolia" (Dinamarca/Suécia/França/Alemanha)

Ator: Jean Dujardin, por "The artist" (França)

Diretor: Nicolas Winding Refn, por "Drive" (EUA)

Roteiro: "Footnote", de Joseph Cedar (Israel)

Grande prêmio: empate entre "O garoto de bicicleta" (Bélgica/França), de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, e "Once upon a time in anatolia" (Turquia), de Nuri Bilge Ceylan

Curta-metragem: "Cross country" (Inglaterra), de Marina Vroda

Prêmio Câmera de Ouro (para diretor estreante): "Las acacias" (Argentina/Espanha), de Pablo Giorgelli

Prêmio do Júri: "Polisse", de Maiwenn Le Besc (França)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Aniversário de Bob Dylan!!

Robert Allen Zimmerman feliz aniversário!! Bob Dylan faz hoje, dia 24 de maio, 70 anos... and the answer, my friend, is blowin’ in the Wind.... Bob, querido Bob, estranho Bob, grande Bob...
"It'´s alright, Ma... (I´m only bleeding)...

História de outro tempo. Sem palavras. Por enquanto....






p.s: descobrindo que tenho muitos tempos em mim...

domingo, 22 de maio de 2011

You were only waiting for this moment to arise...

Now... 


Blackbird

Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arise.
Blackbird singing in the dead of night
Take these sunken eyes and learn to see
All your life
You were only waiting for this moment to be free.
Blackbird fly Blackbird fly
Into the light of the dark black night.
Blackbird fly Blackbird fly
Into the light of the dark black night.
Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arise
You were only waiting for this moment to arise
You were only waiting for this moment to arise.