quarta-feira, 8 de junho de 2011

AYRTON SENNA, o filme.


Eu adoro esporte. E cinema. E literatura. E psicanálise. Jardinagem também. Amo culinária, e modéstia (que não é meu forte) à parte, cozinho bem. Adoro animais em geral (melhor, qualquer forma de vida me seduz), mas descobri os gatos, e me dedico a três. Personalidades interessantíssimas que me surpreendem sempre. Tenho pouquíssimos ídolos. (é vero que já passei da idade, no devido tempo tive vários). Os que ficaram deixaram a condição de ídolo para a condição de referência. Assunto que não pretendo discorrer no momento. A hora é dizer que AIRTON SENNA é uma referência para mim. Gosto de me calar e apenas usufruir, contemplando minhas referências. Ave, SENNA.

“O filme “Senna” estreou na última sexta-feira (3) no Reino Unido e quebrou o recorde de maior bilheteria em semana de estreia de um documentário na história do cinema britânico. Com todo esse sucesso, tudo leva a crer que o filme amplie o número de salas de exibição, a partir da próxima semana. Vale lembrar que, quando estreou no Japão, o filme também quebrou recordes de público e foi muito bem recebido por lá. Todo este sucesso comprova que Ayrton Senna ultrapassou as fronteiras nacionais e tornou-se um ídolo do automobilismo cultuado mundialmente.
“Senna” arrecadou $614,000 em seu primeiro fim de semana de exibição no Reino Unido, o que é um novo recorde para o gênero. Vale lembrar que o documentário ganhou prêmio do juri popular em Sundance, em janeiro, e é uma co-produção britânica, americana e francesa, dirigida pelo inglês de origem indiana, Asif Kapadia.
A película foi também muito bem recebida pelos críticos britânicos; Jeremy Clarkson considerou o documentário “imperdível” e o critico de cinema da BBC, Marke Kermode, apontou “Senna” como um dos dois filmes obrigatórios do ano. “Senna” teve uma vasta campanha publicitária e vem recebendo críticas favoráveis também do público, que considera que o filme possui qualidades e interesses mesmo para aqueles que não são fãs da Fórmula 1.
Segundo o roteirista e produtor do filme, Manish Pandley: “É maravilhoso ver a alegria com que o público recebe o filme. Sabíamos que estávamos fazendo algo especial e achamos ótimo que os fãs britânicos concordem”.

FONTE: FELIPE MOTTA, Dentro e Fora das pistas. (perfil do Felipe segundo seu blog: é repórter da rádio Jovem Pan desde 1999. Cobriu seu primeiro GP do Brasil em 2002. Em 2004, assumiu a função de acompanhar todas as corridas da F-1 in-loco. Já conheceu mais de 40 países ao lado da velocidade dos carros e de outros eventos esportivos, como Copa do Mundo (2006 e 2010) e Copa das Confederações (2009). Fanático por cinema, vive com três gatas e adora culinária oriental, em especial japonesa e tailandesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário