quarta-feira, 22 de junho de 2011

BONS VOTOS:

Elegância

'Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso,
esteja cada vez mais rara:
a elegância do comportamento.
É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres
e que abrange bem mais do que dizer
um simples obrigado diante de uma gentileza.
É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã
até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas,
quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.

É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam.
Nas pessoas que escutam mais do que falam.
E quando falam, passam longe da fofoca,
das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.


É possível detectá-la nas pessoas
que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas.
Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores
porque não sentem prazer em humilhar os outros.
É possível detectá-la em pessoas pontuais.
Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece,
é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete e,
ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes
quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.

Oferecer flores é sempre elegante.

É elegante não ficar espaçoso demais.
É elegante, você fazer algo por alguém, e este alguém jamais saber
o que você teve que se arrebentar para o fazer...
É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.
É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.
É elegante retribuir carinho e solidariedade.

... Abrir a porta para alguém é muito elegante.
... Dar o lugar para alguém sentar... É muito elegante.
.. Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma...
... Oferecer ajuda. É muito elegante.
.. Olhar nos olhos, ao conversar é essencialmente elegante.

Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação,
mas tentar imitá-la é improdutivo.
A saída é desenvolver em si mesmo a arte de conviver,
que independe de status social:
é só pedir licencinha para o nosso lado brucutu,
que acha que 'com amigo não tem que ter estas frescuras'.


Se os amigos não merecem uma certa cordialidade,
os desafetos é que não irão desfrutá-la.
Educação enferruja por falta de uso!
E, detalhe: não é frescura.'

Bom feriado pra todos, bjokas, Dora.
p.s: obrigada, Dora. Bom feriado pra você também.




3 comentários:

  1. Dodó,

    A partir da leitura desta mensagem, tornar-me-ei definitivamente elegante. Sem, entretanto, tornar-me veado (ou cruzeirense, o que é a mesma coisa).
    Sei que me enquadro muito modesta e elegantemente na maioria dos requisitos expostos, mas esta mensagem representa um marco em minha curta existência. A partr de hoje, se Deus quiser, haverei de tornar-me totalmente - e não apenas parcialmente - elegante. Você verá !

    Um abraço, um beijo e um pedaço de queijo.

    Seu simpático (e elegante) cunhado Rogério.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. ei, Rogério,
    fico feliz com sua presença, tomara esteja sempre aqui, colaborando conosco e trazendo suas idéias. Faço apenas uma questão: não seria uma falta de elegância com ambos, veados e cruzeirenses? Parecem-me tão diferentes, e não definidos exatamente pela elegância. Mas enfim, é ótimo contar com suas idéias. Volte sempre, simpatico (e elegante) Muchas gracias.

    ResponderExcluir