segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Prescrição:


"RECEITA PARA CURAR UMA FERIDA"

Quase nunca se faz necessário identificar o objeto cortante ou pontiagudo que dilacerou peles e músculos. A ferida aberta requer toda a atenção.

Tampouco há necessidade de vacinas antitetânicas ou esterilizantes, as boas feridas não são feitas para matar, e sim para doer por um bom tempo.

Não se apresse jamais em colocar gaze ou tentar conter o sangue. Observe apenas se se trata de ferida de amor. Sendo o caso, esqueça a receita, já que das dores de amor não há carne que se regenere."

Débora Mattos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hilda, a mulher de coragem

Hoje, terça feira, 10 de abril: LETRA EM CENA A professora Eliane Robert de Moraes analisa a obra de Hilda Hilst. Nesta terça-feira (10)...