quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Primeira reflexão: "Quero um amor que entre por acaso e fique de propósito"


Sim, é o que eu quero. Mas somente agora me dou conta disso. Como assim?!
Após muitos encontros por acaso ou apresentados ou desajeitados e que por muitas vezes propuseram a ilusão de estar com você e “gostar de você do jeito que você é”, mas que ao perceberem que não ia acontecer tão cedo o que realmente era o propósito de tantas “promessas” se esvaeceram...Por que? Ora, estamos no século XXI o que para as relações humanas significa já no primeiro encontro: então, vamos? É, há 10 anos atrás, ainda existia o tal do “ficar”, e há 20 anos, existia o “posso pegar na sua mão?” O que houve com o romantismo?
Estamos virando meros objetos? (pausa para reflexão)
Não tenho nada contra o sexo, muito pelo contrário, mas cansei de ser um acaso. E por isso, decidi esperar alguém que queira de propósito. E, sinceramente, parei de me importar com o que todos dizem.
Repito uma frase já dita: Solteira sim, sozinha não. Baladas? Já fui a muitas, conheci diversos tipos de pessoas, mas nenhuma que queira ficar de propósito. E o mais interessante é que todos se sentem sós, quantas vezes eu ouvi amigas/ amigos dizendo que querem um relacionamento “de verdade”?; mas, como fazer isso acontecer se você não sabe o que quer? O que procura na outra pessoa? Amigas ficam aflitas ao lado do celular (ah, isso também mudou, o telefone fixo está prestes a entrar em extinção) aguardando a bendita da ligação que lá no fundo elas mesmas sabem que não vai ocorrer!!!!!Tenho dó. Não apenas delas, mas também de quem está do outro lado da linha, perdido no mundo. E não pense que isso ocorre apenas com as mulheres; vivemos em um século de liberdade feminina, que acha que pode tudo, que dá conta de tudo e pode ter tudo o que quiser; e, assim, também tenho amigos se queixado que “ as mulheres não querem nada sério”. Que faca de dois gumes!!!!!!
Ahhh, mais uma coisa: os opostos não se atraem. Pois é. O máximo que pode acontecer é uma paixão fulminante, de momento, mas não duradoura. Aprendi que o que constrói uma vida a dois são ideais semelhantes, objetivos, maneiras de pensar e de ver a vida. É isso!
Mais uma descoberta, infelizmente é possível duas pessoas ficarem sem se falar por dias, semanas simplesmente por não terem assunto. Já que um pensa diferente do outro, conversar o quê?
Quantos casamentos são meramente por status, por conveniência ou obrigados? Não sou pessimista, muito pelo contrário, conheço vários casais que apenas de se olharem já sabem tudo o que outro quer dizer ...mas são raros....
Será tão difícil assim tentar encontrar alguém que realmente fique pelo que você é, sem se importar com o que faz, ou o que não faz, sem julgar seu passado ou pelo quanto você ganha? É. E digo mais, são raras essas pessoas, são diamantes!
Mas como encontrar essa pessoa? Não sei. Mas pelo menos eu sei o que eu quero.
Enquanto isso canto junto com os Titãs em ‘Epitáfio’:
  O acaso vai me proteger
     Enquanto eu andar distraído
     O acaso vai me proteger
     Enquanto eu andar...
 
 Bjos 
Gisella
p.s: obrigada, Gisella. É muito bom interagir assim, é nosso propósito, nossa intenção, nosso desejo... obrigada mesmo por nos ajudar nisso tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário