domingo, 23 de outubro de 2011

EM NOME DO PAI, o filme. (para o Marco)

É um bom momento para se falar em terrorismo. Desde quando? Faz tempo. É um bom momento para se falar em relação pais/filhos. Desde quando? Sempre. É um bom momento para se falar em intolerância étnica. Ridiculamente permanente. 

Tratando de tais atualíssimas e eternas questões, hoje é dia de sugerir EM NOME DO PAI.  O filme merece ser visto por diferentes - e ótimas  - razões. Começa pelo nome – com um significado novo àquela época, continua com o lindo e jovem Daniel Day-Lewis já consagrado ‘o ótimo’, Emma Thompson idem, Pete Postlethwait também, a trilha sonora original de Bono, roteiro muito bem feito com direção correta,  produção executiva do grande ator Gabriel Byrne, detentor dos direitos sobre o livro, que decidiu dar o papel para Day-Lewis. E outro e caprichado olhar para os anos setenta. E o melhor (ou pior??) é baseado em fatos reais. Ah, o cinema... 



‘In the Name of the Father’ é um filme de 1993, irlandês/britânico, dirigido por Jim Sheridan, baseado na autobiografia de Gerry Conlon: ‘Proved Innocent’. Recebeu todos os aplausos, indicações para todos os prêmios de 94, e ganhou o Urso de Ouro, em Berlim. Existe um curta metragem brasileiro de 2002, que leva o mesmo nome, e trata do abuso sexual infantil no âmbito doméstico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário