sexta-feira, 21 de outubro de 2011

NOS TEMPOS DA BRUTALIDADE

5.

Flash mobs!
Meu Deus, como estamos sozinhos!
Tenho um milhão de amigos.
Não tenho inimigos.
Nenhum inimigos?
Isso está errado. 
Gramaticalmente também.
O Steve Jobs inventou a urgência.
Não sinto medo.
Eu não sinto.
Precisa-se saber onde estão.
Eu estou aqui.
O rapaz da casa de chá é gentil.
A motocicleta mandou-me à puta que pariu.
O amor é uma decisão.
Uma decisão.
Sim, uma decisão.
O buraco na camada de ozônio aumentou.
Ele põe o celular sobre a mesa. Hora do almoço.
Eu não estou aqui. 
Ele manda uma mensagem.
Nada que se diz importa.
Eu estou aqui.
Anônimos.
Talvez a inflação caia.
Buracos tendem a crescer.
Não recebi o convite para o casamento.
Nem sempre.
Tenho medo de receber.
O casamento não é o amor.
Existem imposições.
Vários rebeldes.
Nenhum.
A lua é nova.
Mataram o Khadafi?
Disseram que o Brasil vai bem no PAN.
Você sabe do Chico Buarque?
E o preço do petróleo?
Não mataram ninguém.
Eles matam sim.
Viva a democracia.
Uma coisa antiga.
E sua hipocrisia?
É a modernidade.
Pós.

Magda Maria Campos Pinto

Nenhum comentário:

Postar um comentário