quarta-feira, 19 de outubro de 2011

OS CAPRICHOS DE GOYA



Belo Horizonte recebe a primeira série de gravuras produzida pelo famoso pintor espanhol, editada pela primeira vez em 1799, que deram a Goya o adjetivo ‘O Turbulento’. As 80 gravuras que compõem a série estão expostas no hall da Prefeitura de Belo Horizonte até 30 de outubro/2011. A coleção é de propriedade do Instituto Cervantes e constitui um maravilhoso mergulho nos abismos da emoção humana. A delícia, a dor, a ironia, o ridículo, o funesto, o gozo, o desamparo... o infinito. Não perca as tumultuosas linhas de Goya, e se reconheça melhor.
Francisco Goya y Lucientes (1746-1828) trabalhou a gravura à altura de Dürer e Rembrandt. Produziu quatro séries: Os Caprichos, Os Desastres da Guerra, A Tauromaquia e Os Disparates. Goya é enigmático. Não há consenso entre os estudiosos da arte, da sociologia ou da psicologia a seu respeito. Muito menos entre os simples mortais admiradores da arte. seu trabalho é do século XVIII mas de fato ele continua se reproduzindo, influenciando, instigando. Por exemplo, é de 2006 o filme dirigido por Milos Forman, As sombras de Goya, inspirado em uma de suas gravuras (com Natalie Portman e Javier Bardem no elenco). A meu ver, um filme esquisito. Um Milos Forman estranho. Enfim, Goya é um provocador. Eis o maior dos motivos para conhece-lo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário