sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Senhoras e Senhores, O PALHAÇO

 

Vi O PALHAÇO, do Selton Mello. Muito bom. Quase ótimo. Os valores do filme estão nos mais diversos aspectos, a começar pela coragem e firmeza do Selton para roteirizar, dirigir e atuar. E em todos os riscos se sai muito bem. Muitíssimo bem. É emocionante acompanhar sua reflexão, dos dissabores aos amores, do que-fazer humano (que fazer?) e com um determinado humor (muitíssimo bem reconhecido da alma mineira). O filme certamente se faz mais saboroso para os mineiros, é inegável. Isto em nada o separa da universalidade que, como boa obra de arte, consegue. Mas é certo que, da inflexão às soluções, a alma mineira ‘tá lá’. Amei.
 
As imagens são primorosas, os atores ótimos – grande Paulo José! Destacam-se também o cuidado, o diálogo minimalista, as sutis homenagens e as citações subliminares.  Mas o som e a trilha deixam a desejar. Infelizmente, pois, com certeza, impediu que O PALHAÇO brilhasse com toda a sua potência. É isso, o Selton é maravilhosamente potente. Vem mais, sei que vem.  Recomendo, humildemente, O PALHAÇO. Tipo, trem bão,uai!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário