sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Clint Eastwood

Eu já confessei aqui minha idolatria por Clint Eastwood, é coisa da vida inteira, coisa que só Freud explica (e cuja explicação, de fato, só me interessa por aumentar meu amor pelo Clint... e tins e tais, e pronto). Mas existem as razões ‘bem racionais’ (minha neurose está sob controle) para minha admiração por Mr. Eastwood. Pois é, este post tem a função de ‘chiar, protestar, choramingar... e etc.’ pelo fato de que a mostra Clint Eastwood que aconteceu no Rio e que agora está em São Paulo até 26 de fevereiro, com exibição de todos os filmes e outros documentos da sua carreira de ator e diretor não virá a Belo Horizonte. São 168 filmes, entre os ótimos, maravilhosos, bons, ruins e péssimos. 


E no mais, uma pequenina razão por ele estar em meu altar pessoal:
Clint Eastwood, 81 anos, recusou o uso de Photoshop nas fotos que ilustram a capa da revista “M”, do jornal francês “Le Monde”; ele não permitiu que as imagens não mostrassem todas as marcas de sua idade.  A reportagem é para divulgar seu  último  filme “J. Edgar”, estrelado por Leonardo DiCaprio, que retrata o fundador do FBI, J. Edgar Hoover, que promoveu uma caça às bruxas durante sua gestão. “J. Edgar” estreia no Brasil no dia 27 de janeiro, e é pré-candidato ao Oscar. .

Nenhum comentário:

Postar um comentário