quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Notas sobre o que está por vir

5.

Tenho pena. Dizem – sempre – que pena não é sentimento que se  tenha por alguém. Disseram inclusive que é algo que se refere a animais, tipo pena de cachorro morto. É idiota isso; um animal morto causa-me antes raiva, nojo da nossa própria idiotice. Começo a sentir dificuldades de discernir humanidade e desumanidade. Eu!, logo eu, eu que tanto falei, proclamei e pensei defender essa tal humanidade. Hoje está muito difícil. Continuo com pena dela, e me sinto muito mal por sentir isso. Disseram-me também que sentir pena de alguém é uma defesa; tipo formação reativa do ódio. É, disseram. Explico: se eu não consigo assumir que a odeio, sinto pena. Tipo assim. Mas o fato é que o ódio veio dela. E admito que tudo isso causou-me incontáveis reações ao longo do tempo. Mas hoje sinto pena. E me dói. Dói profundamente, tão profundamente que me causa medo. Fica assim registrado que me sinto confusa e desamparada. E mais ainda, preciso de ajuda. Agora soou engraçado. Não tenho dúvidas: soou engraçado. Preciso considerar isso com vagar: preciso de ajuda. O problema será saber qual dos eus precisa de ajuda.

Magda Maria Campos Pinto


Nenhum comentário:

Postar um comentário