terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

200 anos de Charles Dickens

 Muitos eventos em Londres, e em toda a Inglaterra e no mundo, comemoram hoje o bicentenário de Charles Dickens. As grandes obras de Dickens estão ambientadas na Londres do século XIX, e nos mostram os primórdios da ‘modernidade progressista’ e sua inerente crueldade. São obras fundamentais enquanto ‘tratados do desenvolvimento do sujeito humano, exposto e formado pelo seu redor’ e também porque espelham, de maneira espetacular, o umbigo do ocidente no século XIX. Dickens é um revolucionário, seja em sua absoluta competência e acuidade para assimilar e transmitir seu ambiente e seu tempo, seja em sua disposição para fazer sozinho, para persistir. Que se lembre também de sua popularidade duradoura, e de que é certo que suas obras influenciaram, e fortemente, as gerações que se seguiram. Que se lembre ainda de sua ‘invenção’ da publicação em capítulos, criando uma nova maneira de ler. Ou em outras palavras, criando um novo tipo de leitor. Charles Dickens é um monumento, não somente para os ingleses, mas para todos nós, servos da arte. Ler Dickens é imprescindível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário