domingo, 5 de fevereiro de 2012

ARTE 1

 “Aristóteles define a arte como ‘uma disposição suscetível de criação acompanhada de razão verdadeira’ (Ética a Nicômaco, VI, 4,6). Não confunde com a ação moral interna, cujo fim está no querer da pessoa; a arte tem seu fim numa obra exterior ao artista, pela qual este realiza sua vontade. Mas sua concepção intelectual da arte torna-a antes favorável ao senso moral. A arte imitativa escolhe, procurando reproduzir o geral e o necessário; sob as aparências exteriores, ela descobre a essência interna e ideal das coisas ‘tais quais são ou parece serem ou tais quais devem ser; ela completa assim a natureza que muitas vezes não conclui sua obra’”.
In Arte Retórica e Poética, Aristóteles, Coleção Universidade, Estudo Introdutivo Goffredo Telles Júnior, RJ, 1980.
(A criação de Adão, Capela Sistina, Micheângelo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário