quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

E ela o contempla, e ela o contempla...


ETERNO AMOR
Título original: (Un Long Dimanche de Fiançailles)
Lançamento: 2004 (França)
Direção: Jean- Pierre Jeunet
Atores: Audrey Tautou, Jean-Pierre Becker, Dominique Bettenfeld, Clovis Cornillac.

                   
O filme Eterno Amor (Um Long Dimanche de Fiançailles) merece nossa atenção pela qualidade, algumas peculiaridades e outras curiosidades. Do mesmo diretor de ‘O fabuloso destino de Amelie Poulan’, trabalhando com a mesma atriz (Audrey Tautou), há uma clara tentativa de repetir a fórmula. Embora não empolgue como o primeiro, a tentativa, por si, é válida, pois a delicadeza e a atenção aos pormenores do cotidiano, aos mecanismos da alma para segurar a esperança, é enternecedora e diferencia essas produções. Ao falar da primeira guerra mundial, o filme também se distingue (tempo meio esquecido pelo cinema); à violência anônima e falta de sentido da guerra se contrapõem a simplicidade de um cotidiano pessoal, simples, no qual as pessoas se movimentam e se constroem. Um lirismo leve, bem humorado, permeia o filme. A fotografia e a direção de arte, candidatas ao Oscar naquele ano, são fantásticas. Contamos com a participação de Marion Cotrillard (antes de Piaf, e linda) e a presença da maravilhosa Jodie Foster, que fez questão de participar, em francês, naqueles exercícios que só os verdadeiros artistas se obrigam. O final do filme, a solução da trama, também merece atenção. Bom filme, gente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário