sábado, 25 de fevereiro de 2012

Mais, ainda...


Há muitas formas de morrer. Algumas são insuportavelmente dolorosas porque são modos do medo de viver. Sam Mendes, diretor de teatro que estreou no cinema com Beleza Americana (American Beauty, 1999), tratou disso em “Revolutionary Road”, filme de 2008, com um ótimo Leonardo di Caprio e a maravilhosa Kate Winslet, que naquele ano ganhou o Oscar por O leitor (merecidamente) mas que também poderia ganhar por esse filme (aqui chamado ‘Foi apenas um sonho’). Filme difícil, poderoso, que incomoda, que pergunta, pergunta e pergunta. E a vida... o que é, meu irmão?
 O trabalho e o dinheiro? O casamento, filhos e conforto? E a doença mental... tem a ver com verdade? E o sonho com a realidade? E a vida... o que é, o que é, meu irmão?  
 Grande filme, mas não o veja se você não está interessado em cuidar da própria vida. Aliás Sam Mendes é um dos que não recua. Sua filmografia está entre os grandes trabalhos do cinema desses nossos dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário