terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Mistério e Provocação: A tempestade, de Giorgione

Relacionado entre as 10 maiores pinturas já realizadas, A Tempestade é um famoso quadro renascentista do mestre italiano Giorgione, datado de 1507-1508, que está na Galeria dell’Accademia em Veneza.  

Intrigante. É a palavra que ao longo dos séculos se usa para descrever A tempestade de Giorgione. O quadro é motivo de estudos, análises, críticas, e numa provocação interminável, continua escondendo seu enigma. De fato não existe consenso interpretativo, e sim uma série de interpretações: bíblicas, pagãs, morais, míticas... E por aí vai. Vai influenciando estudiosos e artistas. Existem poemas e teses, filmes, quadros e romances: todos saídos da Tempestade de Giorgione. Também a vida do autor é misteriosa, merecedora de especulações, como soe acontecer com os gênios. Sabe-se que foi discípulo de Giovanni Bellini e sabe-se de uma morte precoce. Fala-se de uma polêmica com Ticiano. São duas suas obras maiores: A tempestade e Os três filósofos. Radiografadas, ambas revelaram planos anteriores nos quais outras figuras existiam e q foram transformadas nas que hoje se veem. É possível que a ambivalência tenha sido a própria intenção do artista, o que, entre outras razões, o aproximaria (como afirmam alguns) de Leonardo da Vinci. De qualquer maneira é um marco na produção renascentista, seja em sua evocação poética e profunda da natureza, seja na 'humanização' dos protagonistas. Há, de toda maneira, um domínio completo do natural e uma evidente intencionalidade, que exalta o sensorial. Proliferam as interpretações do quadro que, verdadeiramente, aumentam seu fascínio, pois são trabalhos profundos, interessantes e inusitados os que A tempestade continua produzindo. É só buscar e se deixar fascinar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário