quarta-feira, 21 de março de 2012

SAUDADES DO MEU PAI:


ALGUNS HOMENS

Alguns homens
Deveriam ter montanhas
Para levar o seu nome através do tempo.

Jazigos não são altos o bastante
Ou verdes,
E filhos se afastam
Para perder o pulso
Que a mão de seu pai sempre transparecerá.

Tive um amigo:
Ele viveu e morreu em profundo silêncio
E com dignidade,
Não deixou livros, filhos, ou amantes para chorar.

Nem essa é uma canção de luto
Mas apenas o nomear dessa montanha
Por onde caminho,
Escura, perfumada e suavemente branca
Sob a palidez da névoa.
Nomeei essa montanha com seu nome.


THERE ARE SOME MEN

There are some men
Who should have mountains
To bear their names to time.

Grave-markers are not high enough
Or green,
And sons go far away
To lose the fist
Their father’s hand will always seem.

I had a friend:
He lived and died in mighty silence
And with dignity,
Left no book, son, or lover to mourn.

Nor is this a mourning-song
But only a naming of this mountain
On which I walk,
Fragrant, dark, and softly white
Under pale of mist.
I name this mountain after him.
 (Leonard Cohen/Philip Glass)

Nenhum comentário:

Postar um comentário