quarta-feira, 16 de maio de 2012

CARLOS FUENTES:

 Morreu ontem, dia 15, aos 83 anos, na Cidade do MÉXICO, o maravilhoso intelectual mexicano Carlos Fuentes, ganhador do Prêmio Cervantes. Embora faça parte do grupo seleto dos grandes autores latino-americanos, com os quais teve relações estreitas de amizade e de trabalho, Carlos Fuentes se destacava por uma simpatia cativante, uma leveza para dizer as coisas e ainda, uma coerência na luta pela cultura latina por toda sua vida. Seu bom humor, inteligência, suavidade e generosidade eram proverbiais. Foi (é) o maior romancista mexicano (nascido no Panamá). A literatura era, para ele, uma profissão de fé, sua dedicação exclusiva desde muitos anos; e deixa vasta obra. Foi diplomata, professor e ensaísta.

"Deve-se ter muito medo de escrever. Não é um ato natural como comer ou fazer amor, é de certa forma, um ato contra a natureza. É dizer à natureza que não se basta a si própria, que precisa de outra realidade, da imaginação literária”.

(Fuentes com Gabriel  Garcia Marquez, grandes amigos)

"Receios literários não tenho nenhuns. Sempre soube o que quis fazer. Levanto-me muito cedo e às sete da manhã já estou a escrever. Entre os meus livros, a minha mulher, os meus amigos e os meus amores não me faltam razões para continuar a viver. O meu sistema de juventude é trabalhar muito”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário