terça-feira, 29 de maio de 2012

CECÍLIA MEIRELES PARA LÓRI II


(...)
“Vim da taverna ébrio de impossível,
Pisando sonhos, beijando o vento,
Falando à pedras, agarrando os ares...
- Oh! Deixe-me ir para onde eu for:...”


Nenhum comentário:

Postar um comentário