domingo, 20 de maio de 2012

Enquanto isso, em Cannes...



AMOUR, filme de Michael Haneke, que emocionou Cannes hoje, domingo, já me conquistou e estou ansiosa para vê-lo. O filme acumula razões para justificar a expectativa, independentemente da comoção vivida em Cannes. Antes de mais, a coragem por tratar o tema da morte. Fico muito contente com isso, e acho desnecessário explicar-me mais uma vez. Há também a ansiedade por rever Jean-Louis Trintignant (sim, aquele mesmo de ‘ E Deus criou a mulher’ de Roger Vadin, com Brigite Bardot, e de ‘Um homem, uma mulher’, de Claude Lelouch, com Anouk Aimé, entre inúmeros), atualmente com 81 anos, que  volta à cena corajosamente, ao lado de Emmanuelle Riva, de ‘Hiroshima, meu amor’.   O filme conta ainda com Isabelle Rupert, fantástica atriz francesa.  Michael Haneke ganhou o festival em 2009, com a ‘A Fita Branca’, e a partir de hoje, aparece como favorito, dizem os noticiários. ‘Anfán’... deu uma saudade grande do cinema francês. E um grande orgulho de conhecer essa ‘brava gente da geração de 60’. Aguardando, portanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário