sábado, 2 de junho de 2012

CECÍLIA MEIRELES PARA LÓRI VI


(...)
“Ah, falta o silêncio que estava entre nós,
E olhava a tarde, também .
Nele vivia o teu amor por mim,
Obrigatório e secreto.
Igual à face da Natureza:
Evidente, e sem definição.

Tudo em ti era uma ausência que se demorava:
Uma despedida pronta a cumprir-se”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

NO FUNDO NÃO HAVIA ÁGUA ou ENTRE O SUJEITO E A COISA

( nota prévia: esse é o primeiro conto do livro INCONTÁVEIS,  de que publicamos o prefácio antes. Como dissemos é um livro denúncia. Denú...