terça-feira, 26 de junho de 2012

“NONADA”, Guimarães Rosa para Estêvão VII


“Diz-se que era o dia do valente não ser; ou que o poder, aos tombos dos dados, emana do inesperado; o que, vezes, a gente em si faz feitiços fortes, sem nem saber, por dentro da mente”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NO FUNDO NÃO HAVIA ÁGUA ou ENTRE O SUJEITO E A COISA

( nota prévia: esse é o primeiro conto do livro INCONTÁVEIS,  de que publicamos o prefácio antes. Como dissemos é um livro denúncia. Denú...