sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Arturo, Arturo....


Arcturo (α Boo, α Boötis, Alpha Boötis) é a estrela mais brilhante da constelação do Boeiro  e a quarta mais brilhante do céu. Foi conhecida como ‘gigante vermelho’; está a 33 anos-luz do sistema solar. O seu movimento lento na abóbada celeste, de este para oeste, pode ter sugerido aos nossos antepassados a ideia de um calmo e contemplador pastor, um ceifeiro ou mesmo um condutor de rebanhos. Pois Boieiro é reconhecido por todos estes nomes.
      Segundo a lenda, Boieiro era um jovem muito sensato e com um grande sentido de dedicação e consciência social. Quando se deparou com a dificuldade em que os habitantes do planeta Terra se encontravam para obter comida, Boieiro decidiu ajudá-los a tornarem-se capazes de se ajudarem a si próprios e construiu o primeiro arado, enviando-o para a Terra. Desde então, os homens conseguiram semear as terras e cultivar o seu próprio alimento, tornando-se auto-suficientes. Devido a este grande benefício, os deuses decidiram recompensá-lo dando-lhe a honra de ser colocado no céu, na posição da Ursa Maior. (também conhecida como o Arado).
       Na mitologia romana, Arturo é o Ateniense Icário, que morava com sua filha Erígone e seu cão Maera; ele recebeu em sua casa Liber Pater (Dionísio), que lhe ensinou os segredos do vinho. Icário serviu vinho aos pastores que o mataram pensando-se envenenados. O cão latiu desconsolado atraindo Erígone que, diante do pai morto, enforcou-se. Liber Pater afligiu as mulheres atenienses como punição até que os pastores fossem punidos e um festival foi criado em homenagem aos dois. Erígone tornou-se a constelação de virgem e Icário (Arturo), umas das mais brilhantes estrelas do céu.

 Constelação Boieiro