domingo, 19 de agosto de 2012

2012 : 40º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO - VENCEDORES

 
O 40 º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO terminou ontem com a cerimônia de premiação. O festival trouxe boas novas e várias polêmicas mais uma vez. Eu não vi muita coisa, mas vi suficiente. Embora digam que a problemática organização, que quase derrubou o festival, tenha se revolvido e que tudo aconteceu muito bem nesse ano, não o confirmou a transmissão pelo Canal Brasil. É claro que aqui temos que nos queixar da transmissão, mas se o Canal Brasil é um grande patrocinador do evento, fica o protesto. Simplesmente péssima transmissão, digna de muitos bocejos. O trabalho do cinema é tão grandioso, pesado e de tão fina responsabilidade que merece maior cuidado e investimento (oh velho refrão...). Por outro lado, temos que aplaudir GRAMADO de pé e com gritos de bravo. Nesse país burocrático e ineficiente, corrupto e infantil, esse festival é um exemplo de resistência, bom gosto e maturidade. (e olha... quem me conhece sabe que sou uma defensora radical da cultura brasileira e que acho que ‘falar mal do próprio país’ é uma das maiores gafes e inconteste comprovação de imaturidade. Aqui, entretanto, não estou falando mal, estou criticando, com grandes esperanças de ser ouvida). Gostei muito dos prêmios para O SOM AO REDOR; a parte que conheci do filme, a postura do diretor, as intenções... tudo me agradou. Aguardo a estreia nacional com grande interesse. Aliás, o filme já recebeu prêmios em festivais no exterior e, repito, tudo que já vi dele agradou-me muito. Tenho bons olhos também para o melhor filme: COLEGAS, de Marcelo Galvão; no mínimo, inovador e corajoso (pensei em ‘Vincent quer ver o mar’... de que falamos aqui). Veremos. Já o prêmio para o roteiro de Pedro Bial para Jorge Mautner – O Filho do Holocausto.... humm, sei não; do que vi, não gostei. Para mim, o mal gosto já aparece na nomeação da ‘homenagem’. Destaque também para a produção latina, em especial para o vencedor total 'Artigas, la redota', que faz parte de um grande projeto sobre os heróis da independência da América Latina. Bom, vamos aos principais vencedores: (com aplausos para o CINEMA NACIONAL)

Competitiva - Longas Nacionais


MELHOR FILME
Colegas / Marcelo Galvão

MELHOR DIRETOR
Kleber Mendonça Filho / O Som ao Redor


MELHOR ROTEIRO
Pedro Bial / Jorge Mautner – O Filho do Holocausto
MELHOR ATRIZ
Fernanda Vianna / O que se Move
MELHOR ATOR
Marat Descartes/ Super Nada

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI
Breno Viola, Rita Pokk e Ariel Goldenberg/ Colegas


MELHOR FILME - JÚRI POPULAR
O Som ao Redor

Competitiva - Longas Latinos

MELHOR FILME
La Redota - Uma História de Artigas

MELHOR DIRETOR
César Charlone / La Redota - Uma História de Artigas
MELHOR ATOR
Jorge Esmoris / La Redota - Uma História de Artigas
MELHOR ROTEIRO
Eduardo del Llano Rodríguez / Vinci
MELHOR FOTOGRAFIA
 Boris Peters e Larry Peters/ Leontina
MENÇÃO ESPECIAL
La Redota - Uma História de Artigas / Direção de Arte de Daniel Fernández e Mariana Pereira e Vinci / Trilha Sonora de Ricardo Pérez
MELHOR FILME JÚRI POPULAR
La Redota - Uma História de Artigas / César Charlone

Competitiva - Curtas Nacionais
MELHOR FILME
Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira


MELHOR DIRETOR
Gilson Vargas / Casa Afogada
MELHOR ROTEIRO
Marcelo Matos de Oliveira / Menino do Cinco
MELHOR ATRIZ
Sabrina Greve / O Duplo
MELHOR ATOR
Thomas Vinícius de Oliveira / Menino do Cinco


MELHOR FILME - JÚRI POPULAR
Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

Prêmio Canal Brasil
MELHOR FILME
Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira


Júri da Crítica

MELHOR LONGA NACIONAL
O Som ao Redor / Kleber Mendonça Filho

MELHOR CURTA
Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

MELHOR LONGA LATINO
La Redota - Uma História de Artigas / César Charlone


Nenhum comentário:

Postar um comentário