terça-feira, 28 de agosto de 2012

LEVE LESE: ao que está por vir

P.S: A potência geradora é, por certo, uma aberração. Um abuso de poder. Digo melhor dizendo que é fruto de um capricho fugaz dos deuses. Por um átimo os deuses tocam a criatura, e essa, atingida, gera. O fruto, resultado de um capricho, é, pois, abandonado pelos deuses, e fica a mercê da criatura tocada. Sem recursos divinos, ela, a genitora, deposita seu abandono no ser que gerou. Mas, dilacerada entre o abandono e o poder de criar, ela inventa uma história para si e para seu rebento. 

Magda Maria Campos Pinto

Nenhum comentário:

Postar um comentário