terça-feira, 28 de agosto de 2012

MEU DRUMMOND DE CADA DIA:


SCIENCE FICTION

O marciano encontrou-me na rua
E teve medo de minha impossibilidade humana.
Como pode existir, pensou consigo, um ser
Que no existir põe tamanha anulação da existência?

Afastou-se o marciano, e persegui-o.
Precisava dele como de um testemunho.
Mas, recusando o colóquio, desintegrou-se
No ar constelado problemas.

E fiquei só em mim, de mim ausente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A PRIMEIRA VEZ

(TERCEIRO CONTO DO LIVRO 'INCONTÁVEIS') A PRIMEIRA VEZ Ele bate a coronha da arma na minha cabeça e fico momentan...