sexta-feira, 7 de setembro de 2012

HOMENAGEM À PÁTRIA:


Estamos todos por aqui: votos que a Pátria assuma de vez seu destino de beleza, talento e alegria geral e irrestrita, para cada um e para todos. Que a Pátria nunca mais se distraia e se deixe subtrair... Brasil Bonito. Independência e Vida. Justiça histórica: vida poética.
'Fiz de tudo e nada de te esquecer..'

Canção do Exílio

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar – sozinho, à noite -
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Gonçalves Dias (1823 – 1864), poeta romântico maranhense, viveu muitos anos na Europa, onde formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra; gostava de cantar a singular mestiçagem da raça brasileira. Sua história é marcada pela morte trágica quando do naufrágio do navio Ville de Boulogne, nas costas do Maranhão. Segundo historiadores todos se salvaram, exceto o poeta que, muito doente, foi esquecido em seu leito.


 Sabiá

Chico Buarque e Tom Jobim

Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
Para o meu lugar
Foi lá e é ainda lá
Que eu hei de ouvir cantar
Uma sabiá.

Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
Vou deitar à sombra
De um palmeira
Que já não há
Colher a flor
Que já não dá
E algum amor
Talvez possa espantar
As noites que eu não queria
E anunciar o dia...

Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
Não vai ser em vão
Que fiz tantos planos
De me enganar
Como fiz enganos
De me encontrar
Como fiz estradas
De me perder
Fiz de tudo e nada
De te esquecer...


Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
E é pra ficar
Sei que o amor existe
Não sou mais triste
E a nova vida já vai chegar
E a solidão vai se acabar
E a solidão vai se acabar...


(Chico Buarque, Tom Jobim, Elis e piano de César Camargo Mariano... podem imaginar melhor?)

 http://www.youtube.com/watch?v=Zhxcu55PRHI&feature=related
(algumas vezes nos perdermos em estradas confusas... Chico e Tom vaiados... às vezes nos perdemos, mas gente como eles sempre nos guiam de volta à estrada brasileira da poesia...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário