sábado, 8 de setembro de 2012

"O que pode haver de maior ou menor que um toque?"

Da série: coisas doces :) Então lembrei de você! Veja!!

 INTOCÁVEIS
FRANÇA/2011
DIREÇÃO:Eric Toledano e Olivier Nakache
 

Inspirado no livro autobiográfico ‘Le second souffle suivi du Diable gardien’ (no Brasil foi chamado O segundo suspiro, lançado nesse ano de 2012), de Philippe Pozzo di Borgo, milionário e tetraplégico, no qual dá ênfase à sua relação com o jovem da periferia parisiense, de origem árabe, tomado como seu cuidador.
Sim, eles ficam amigos e acontece o improvável (impossível na visão 'esclarecida' de muitos): um belo entendimento com confiança, leveza e, principalmente, solidariedade (sem lucro, mas com proveito, é claro, que alegria sempre dá fruto).  No prefácio o autor comenta:

 Somos ambos “intocáveis” em diversos aspectos. Abdel, de ascendência do Norte da África, sentiu-se marginalizado na França - tal como a classe dos intocáveis na Índia. Não se pode “tocar” nele sem o risco de levar um soco, e ele corre tão rápido que os tiras - repetindo sua palavra - conseguiram pegá-lo apenas uma vez em sua longa carreira de delinquente. (...) Quanto a mim, atrás dos altos muros que cercam minha mansão em Paris - minha gaiola dourada, como diz Abdel -, abrigado da necessidade graças à minha fortuna, faço parte dos “extraterrestres”; nada pode me atingir. Minha paralisia total e a ausência de sensibilidade me impedem de tocar o que quer que seja; as pessoas evitam até roçar a minha pele, tamanho o medo que lhes causa minha condição física, e ninguém pode me tocar o ombro sem desencadear dores lancinantes. “Intocáveis”, portanto.

Muito bom, é minha cara isso tudo. Obrigada por se lembrar de mim. No mais, é o filme francês mais badalado desde O ARTISTA (que, por sinal, assisti ontem finalmente. É sem dúvida merecedor de todos os aplausos que recebeu. É delicioso acompanhar a ousadia, assistir a história, acompanhar as homenagens... amar um cachorrinho...). E ainda estamos esperando 'L'Amour' que venceu Cannes/2012. Bravo! para o cinema francês. Que saudade.
Obrigada pelo toque, meu bem! Vai aí para todo mundo mais um belo toque compartilhado, e outra oportunidade para valer-nos de Walt Whitman.

p.s: podemos aproveitar e rever OS INTOCÁVEIS, filme maravilhoso lá dos anos 80 (e sua antológica cena do carrinho de bebê escada abaixo, aliás, uma homenagem  do diretor Brian de Palma a Sergei Eisenstein pela cena da escadaria em O Encouraçado Potemkin... quando vamos brincar de 6 graus?)


e, se quiserem, 
 E pensar e refletir sobre toques, tocs tocs, TOC (!!), não me toques, e... VIVA O CINEMA! Thanks again, honey.

Nenhum comentário:

Postar um comentário