quinta-feira, 18 de outubro de 2012

DE AMOR E DOR... com António Zambujo

 

Ao Sul

Ao sul
À procura do meu norte
Subo as águas desse rio
Onde a barca dos sentidos
Nunca partiu

Lá longe
Inventei o dia azul
E o desejo de partir
Pelo prazer de chegar
Ao Sul

Cada um tem a sina que tem
Os caminhos são sempre de alguém
Ao Sul

Ao Sul
Entre dois braços abertos
Bate um coração maltês
Que se rende, que se dá
De vez
Por amor

Corto os frutos que criei
Corto os ramos que estendi
Pela raiz que abracei
Ao Sul

Cada um tem a sina que tem
Os caminhos são sempre de alguém
Ao sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário